De dentro para fora do Jogo, uma visão diferente de quem de alguma forma viveu O Basquete.
VOCÊ ESTÁ EM:
  Um campeonato mais emocionante, esse é o NBB CAIXA 2019/20
Um campeonato mais emocionante, esse é o NBB CAIXA 2019/20
Um dos favoritos da temporada 2019/20 do Basquetebol brasileiro, SESI Franca segue sem saber o que é perder no NBB CAIXA.
Foto: Marcos Limonti/SESI Franca Basquete.

O NBB CAIXA começou e quem acompanha o Área Restritiva já sabe disso, mas como as equipes estão nesse momento? A maior competição nacional de Basquetebol está no meio de sua terceira rodada com duas equipes invictas na competição (SESI Franca Basquete e Mogi Basquete) e três equipes que não venceram até o momento (Pato Basquete, São José Basketball e Sendi/Bauru Basket), então vamos falar do que aconteceu até aqui.

Independente dos resultados até o momento não podemos afirmar muita coisa, além de que o SESI Franca é virtualmente o favorito ao título, atual Campeão Paulista, tem um dos melhores elencos e mais caros do país, mas vencer o Campeonato Paulista que é o estadual mais disputado deixa a equipe com o status de favorita.

O Mogi Basquete assumiu a alcunha de equipe Moneyball do NBB, o que por muitas temporadas pode-se dizer que foi o apelido do Pinheiros, já que a equipe é montada nos mínimos detalhes por ter um orçamento menor, relembrando o filme ‘O Homem que Mudou o jogo’. Nessa temporada sem patrocinador Master, Mogi fez o impossível nesse momento do Basquete Nacional e montou um elenco extremamente competitivo e sem nenhum gringo a disposição.

Um campeonato mais emocionante, esse é o NBB CAIXA 2019/20
Ao estilo Moneyball, Mogi Basquete, construiu um elenco forte e se solidifica com uma das forças no NBB CAIXA.
Fotos: Antonio Penedo/Mogi Basquete

Do lado de baixo da tabela temos as três equipes com o recorde negativo de 0-3, o que surpreende muito é o Bauru Basket como o Felipe Souza, comenta em seu blog, o fã de Basquetebol está acostumado a ver o Bauru na parte de cima e em um passado não muito distante, conquistou o título do NBB, sem falar que nessa temporada foi o campeão do Interligas.

O Pato Basquete que é a equipe que está em ultimo pelos critérios de desempate, em números não está muito diferente do Franca que é a primeira da tabela, nessa comparação de extremos as duas tem praticamente o mesmo número de rebotes totais, 150 do Pato, contra 151 de Franca e a diferença entre ofensivos e defensivos não é tão grande também. Lembrando que existem estudos que ligam as vitórias no Basquetebol a quantidade de rebotes totais e ofensivos, logo os resultados não deveriam ser diferentes.

Já o São José Basketball é uma surpresa mas nem tanto. Desde o retorno para o NBB, a equipe vem buscando uma identidade dentro de quadra, para uma cidade que respira o Basquetebol e que nas categorias de Base é sempre assustadora, no adulto vem sofrendo dentro de quadra.

Nessa comparação de extremos entre os invictos e os lanternas, o resultado da análise é simples, produção coletiva. O Basquete exposto pelas equipes dentro de quadra, não é o mesmo e isso em um ponto de vista coletivo. Se utilizarmos o Pato como exemplo, as três derrotas (UNIFACISA, Basquete Cearense e Minas Tênis Clube), foram derrotas para o coletivo.

Quem acompanha a NBA está acostumado a ouvir falar de jogadores espaçadores, de jogadores que abrem a quadra, do trabalho sem bola, de criação de arremessos, algo que ainda falta nessas três equipes, ou alguém aqui acredita que o Gegê tem dificuldades de servir seus jogadores porque por algum motivo a produção dele diminuiu ou o Nick Wiggins no Sendi/Bauru não consegue jogar no 1×1 no NBB?

Um campeonato mais emocionante, esse é o NBB CAIXA 2019/20
Sendi/Bauru Basket tem dificuldades de se encontrar dentro de quadra, o trabalho coletivo pode ser uma solução.
Foto: Victor Lira/Bauru Basket.

As três equipes ainda não tem um padrão de jogo coletivo e na hora que isso aperta defensivamente ou ofensivamente, faz muita falta, esse trabalho de bloqueios ofensivos ou defensivos (Bloqueio de rebote ou Corta-luz), que são coisas que não aparecem nas estatísticas, o jogador que flutua do lado oposto para ajudar, inversões de bola para espaçadores, bom talvez seja aqui que o problema esteja instaurado.

E isso torna o NBB CAIXA uma competição de extremos e completamente emocionante, só olhar os números, não existe diferença significativa nos rebotes entre o ultimo e o primeiro, mas existe a diferença dentro de quadra. As equipes de maneira geral estão mais competitivas e o jogo mais disputado. Na semana que vem voltaremos a falar da tabela do NBB e analisando mais algumas equipes.

E você caro leitor?! O que você acha que está dando de errado com essas equipes e também o que está dando muito certo com as invictas?

SOBRE O AUTOR Diego Andrade, mais conhecido como Diego Silver. Professor de Educação Física. Pai, viciado em coisas de Nerd e é claro entusiasta do Basquetebol. Ex-Aluno do Bi-Campeão Mundial Rosa Branca, quando o mesmo era servidor do SESC Consolação. CONHECER TODO TIME
RESENHE COM A GENTE AÍ!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

 
 
VOLTAR AO TOPO
%d blogueiros gostam disto: