O processo de mudança do basquete brasileiro ganhou mais uma etapa importante. Treinadores do chamado ‘primeiro escalão’ se uniram para criar a Associação Brasileira de Técnicos de Basquetebol. O maior objetivo da entidade é defender os direitos trabalhistas dos profissionais.

A ideia de criar o órgão surgiu de uma conversa entre os profissionais que formam a diretoria: o atual técnico do Franca Basquete, Aloísio Ferreira, o Lula, será o presidente da ASBRATEC. Carlos Rodrigues, o Carlão, ex-atleta e técnico, e Marco Aurélio dos Santos, o Chuí, completam a diretoria.

“Estou no basquete a mais de 40 anos e nós sempre lutamos por isso. O mundo moderno exige essa união, e através da associação vamos conseguir boas formas de trabalho para quem é empregado e também para quem emprega. A associação não vai lutar só para um lado, não vamos favorecer só os técnicos, mas o basquete brasileiro precisa entender que o técnico não pode ser tão vulnerável”. – acrescentou Aloísio Ferreira.

“Os técnicos brasileiros precisam se unir para poder reivindicar mais, e com a associação poderemos fazer isso de forma mais organizada e legalizada”, acrescentou o Diretor Secretário da entidade, Carlos Rodrigues.

A ASBRATEC chega após uma sequência de encontros e reuniões que duraram cerca de seis meses. A iniciativa já tem apoio total de nomes fortes do basquete brasileiro como: Luiz Zanon, técnico da Seleção Brasileira Feminina e do São José, Jorge Guerra, técnico do Bauru Basquete, Demétrius Ferracciú, do Minas, Régis Marrelli, do Palmeiras, Flávio Davis, Dedé Barbosa, do Limeira, Alberto Bial, do Ceará, José Neto, do Flamengo, Léo Costa e Pablo Costa, do Macaé, Rinaldo Rodrigues, do Sorocaba, Marcel de Souza, do Pinheiros, Gustavo de Conti, do Paulistano e José Vidal, do Brasília.

A entidade também vai se preocupar e investir na formação dos técnicos.

“A associação vai ser muito forte. Vamos realizar encontros técnicos, palestras e cursos com o objetivo de capacitar melhor os profissionais da educação física em todos os sentidos”, acrescentou o Diretor Financeiro, Chuí.

“A associação é de fundamental importância para o nosso crescimento. Vamos poder brigar por direitos importantes como: cumprimento de contratos, participar de reuniões com as entidades que gerenciam o nosso basquete, e o principal, as garantias contratuais. Hoje o basquete está adquirindo a cultura do futebol, onde o técnico é mandado embora, sem qualquer direito, e muitas vezes acaba culpado por aquilo que ele não é. Isso precisa mudar e o treinador de basquete precisa ser respeitado”, disse Régis Marrelli, técnico do Palmeiras.

A primeira reunião da ASBRATEC acontece neste sábado, dia 31, na sede, em Franca às 09h.

Esse texto eu retirei do O Globo, queria expor minha opinião e tirar algumas dúvidas mas vou fazer isso em um próximo texto.
Por enquanto quero saber a opinião de vocês.
É isso!

Comentem e Compartilhem!
Até+

Diego Silver