Em “Basquete, Coturnos e Canetas”, o leitor fará uma verdadeira viagem no tempo; da fundação da maior liga de basquete do mundo e Wilt Chamberlain, passando pelo ativismo hippie de Bill Walton, até Enes Kanter e a influência de atletas nos movimentos políticos atuais. No capítulo de hoje: Steve Nash.

Steve Nash

MVP por dois anos seguidos (2005,2006), Steve Nash não foi um jogador comum. Seus atributos físicos não eram nada parecidos com o ideal do atleta alto, musculoso e dominante que a maioria das pessoas espera de um jogador de basquete. Contudo, Nash compensava a desvantagem física com uma inteligência absurda dentro e fora de quadra. No lugar da brutalidade, a elegância; ao invés da força, a plasticidade. Encontrando um correspondente no futebol, Steve poderia ser um Andrea Pirlo: um maestro que, com sua classe, fazia o time jogar melhor.

Mágico; inacreditável; incrível. Eram algumas das palavras que os narradores encontravam para definir os passes de Steve todas as noites. Ele tinha o dom de esconder a bola dos adversários e criar uma assistência para um companheiro livre onde anteriormente só havia caos. A única reação possível era se perguntar “como diabos ele fez isso?”.

A genialidade de Nash o fez liderar a liga em assistências por 5 temporadas, ser 8 vezes All-Star e ser um dos 8 participantes do clube dos 50-40-90 (quando um jogador tem aproveitamento igual ou superior a 50% de arremessos de quadra, 40% de três pontos, 90% de lance-livre em uma temporada), Nash é o único a conseguir esses números 4 vezes. Apesar de nunca ter sido campeão da NBA, todos os seus feitos contribuiram para que Nash seja um armador Top-10 da história, 3º jogador com mais assistências de todos os tempos, e homenageado no Hall da Fama do Basquete em 2018.

Assistência importa

A personalidade altruísta de Nash não influenciou apenas seu jogo, ele sempre usou a plataforma de estrela da NBA para beneficiar outros. É o caso da Steve Nash Foundation, criada em 2001 para ajudar na formação de crianças carentes e/ou em situação de risco na Columbia Britânica (província canadense onde Nash nasceu), Phoenix e em outros países. Os projetos envolvem educação escolar, alimentar, esportiva e ambiental, além de programas com os pais. Em 2020, a Fundação também estendeu seu braço para as vítimas da covid-19.

Enquanto jogador, Steve deu voz a muitos protestos ao longo da carreira. Em 2003, Nash criticou publicamente os EUA e a guerra contra o Iraque, afirmando que os EUA estavam mais preocupados com o petróleo que com armas. Posteriormente, em 2010, o Phoenix Suns aproveitou a regata comemorativa do 5 de maio (feriado nos EUA) para protestar contra a lei de anti-imigração do estado do Arizona. A icônica “Los Suns” mostrava o apoio à comunidade latina e imigrantes mexicanos. Nas palavras de Steve, “Infelizmente, isso (a lei de anti-imigração) prejudica nossa sociedade e nossas liberdades civis, e acho muito importante defendermos aquilo em que acreditamos”.

Los Suns' Join Protest, Then Stop the Spurs - The New York Times
Fonte: Christian Petersen/Getty Images

Nash veio de uma época em que jogadores apenas jogavam. Não era papel do atleta fazer comentários políticos sobre a guerra ou a casa branca, no entanto, Nash fez. E outros jogadores seguiram seu exemplo. Em Phoenix ele já era um líder e sua visão humanitária contagiou o time. Amar’e Stoudemire e Alvin Gentry também apoiaram publicamente a comunidade latina, bem como o executivo do time, Steve Kerr.

Leia também! Basquete, coturnos e canetas: Kareem Abdul-Jabbar

Em 2008, Steve e Nike criaram um tênis a partir de resíduos e lixo. O “trash-talk” foi usado por Nash em partidas pelo Phoenix Suns e no All-Star Game daquele ano. Aliás, este foi o primeiro tênis de basquete fabricado de forma sustentável, seguindo os padrões de performance da Nike e Steve foi uma das causas. “Qualquer oportunidade com o propósito de promover a sustentabilidade e preservar nosso planeta, é um passo na direção certa”, disse a lenda.

Steve Nash and Nike Turn Garbage Into "Trash Talk" - Nike News
Fonte: Nike

Steve Nash além do basquete

O brilhante armador também é conhecido por ser um ótimo investidor, afinal, Steve tem participações em diversas empresas, e todas elas têm em comum a responsabilidade social e ambiental. Apaixonado por futebol, torcedor apaixonado pelo Tottenham, Barcelona e Corinthians, Steve tem participações no RCD Mallorca (Espanha) e Vancouver Whitecaps (Canadá); além disso, ele foi acionista-fundador da Liga feminina de futebol dos EUA. A Steve Nash Fitness World, academia do jogador, tem 24 franquias e várias modalidades e, por causa da pandemia, oferece Ioga e exercícios online nesse meio tempo.

Além de seus prêmios como jogador, Steve Nash tem o título honorário de doutor pela Universidade de Vitória e a medalha da Ordem do Canadá (segunda maior honra que um cidadão pode receber no país), assim como o prêmio NBA de cidadania “J. Walter Kennedy”, todos pelos seus serviços em prol da comunidade estadunidense e canadense.

Outro de seus companheiros também fez trabalhos importantes em outras partes do mundo. Amar’e Stoudemire, que formou uma dupla empolgante com Nash e jogou no Suns de 2002 a 2010, é embaixador da boa vontade na Serra Leoa, por seus esforços a fim de oferecer água potável para a comunidade pobre. Assim como Nash, Amar’e também tem uma fundação para crianças e academias de basquete na África. O ex-jogador também é defensor do meio-ambiente, por isso, protestou contra o uso de pele de animais.

O sol ainda brilha

Os anos passaram e o Phoenix Suns tem um novo rosto. Uma jovem estrela que tem a missão de continuar fazendo o Suns brilhar, e sob a benção de Steve Nash, Devin Booker tenta, da mesma forma, fazer valer o seu posto de franchise player. O jovem de 23 anos é um dos pontuadores mais perigosos da liga e, nas palavras de Nash, ele é “poesia em movimento”. Além disso, Booker quer honrar seu antecessor também fora de quadra, devolvendo à comunidade todo o carinho que recebe.

Em 2019, Booker estreou o seu “Devin Booker’s Starting Five”, cujo objetivo é doar 100 mil dólares por ano pelos próximos cinco anos a 5 ONG’s que atendem pessoas com deficiência física e mental, câncer e autismo. Em virtude do Corona vírus, Booker estendeu as doações para bancos de comida e lares de idosos através de lives em seu canal na Twitch. Book mostra e vive seu amor por Phoenix a fim de que, como Nash, seja ídolo no Arizona e lembrado por muitos anos na cidade.

Steve Nash, é uma das figuras mais icônicas da NBA moderna.
Fonte: Youtube/NBA

O padrinho

Outro jovem que está destinado à grandeza é o novato RJ Barrett. O calouro do New York Knicks é afilhado de Nash, que anteriormente jogou com Barrett Sir na seleção do Canadá. Barrett não poderia pedir por um mentor melhor dentro e fora de quadra e segue as pegadas do “tio Nash” também nas causas humanitárias. Em abril, RJ doou 100 mil dólares para um banco de comida do Canadá, somando esta às doações a fim de comprar máscaras, protetores e roupas especiais microporosas para trabalhadores na linha de frente do combate à Covid-19, totalizando 250 mil dólares.

Fonte: Instagram/RJ Barrett

As digitais de Steve Nash estão por toda a NBA. Seja no estilo de jogo da nova geração, no comportamento entre companheiros de time e, sobretudo, na postura ante os problemas sociais e necessidades da comunidade. Sua importância na primeira década do milênio é incontestável; Nash guiou pelo exemplo, recusou-se a ficar calado e agiu em prol dos que não tinham voz. Seu nome está eternizado não só por fazer parte do Hall da Fama do basquete, mas por ter feito o sol mais brilhante pra muita gente ao redor do globo.

O Área Restritiva está no YouTube, conheça o nosso canal. Vídeos três vezes por semana.

Já imaginou um grupo para discutir Basquete como se estivesse em um bar? Conheça o Bar do Área!

Fique por dentro do que está acontecendo no Área em nossas redes sociais; marcamos presença no FacebookInstagram e no Twitter. Ah! Também estamos no Catarse, aqui você conhece todo o projeto do Área Restritiva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.