Na foto, todo o elenco da seleção feminina, entre jogadores e membros da comissão técnica ao centro da quadra, formando um grande círculo em um dos momentos de conversas entre o elenco, antes ou depois do treino (no caso provavelmente antes), as jogadoras não demonstram sinais de que treinaram, uniformes secos. Gerente da Seleção Feminina, Adriana Santos destaca foco da seleção - Área Restritiva
Foto: Divulgação/CBB

Acorda. Treina. Almoça. Treina. Janta. Dorme. Essa é a rotina da seleção brasileira feminina em Belgrado, na Sérvia. Treinando na Vizura Academy, na capital do país, as meninas contam com toda estrutura necessária em um só local: academia, hotel, refeitório e quadra. Assim, sem deslocamento e com uma estrutura usada também por atletas da NBA como Nikola Jokic, o grupo redobra o foco antes de um Pré-Olímpico Mundial complicado e que valerá vaga na Olimpíada de Tóquio.

Gerente da seleção feminina, Adriana Santos destacou a importância de uma preparação assim. A Confederação Brasileira de Basketball organizou, ao lado do Comitê Olímpico do Brasil, a melhor preparação possível desde o Rio de Janeiro. Na segunda, dia 3, às 14h (de Brasília), o time enfrenta a Sérvia em amistoso fechado, sem público ou imprensa.

  • As meninas estão bem focadas. Treinando intensamente. Focadas primeiramente em Porto Rico, nosso primeiro desafio. As condições aqui são as melhores possíveis, um CT apropriado para o que queríamos. Quadra, academia. Não precisamos pegar transporte. Isso facilita os horários. A quadra está livre o tempo inteiro. Podemos fazer o melhor treinamento possível. E elas, junto com a comissão técnica, estão focadas. Sabemos que não é fácil. Cada jogo será muito disputado. Tentamos proporcionar para elas tudo de melhor para pensarem só em treinar e jogar – explicou Adriana.

Campeã mundial com o Brasil e duas vezes medalhista olímpica, Adriana já viveu essa experiência de Pré-Olímpico.

  • A gente que já esteve lá, sabe que estando com a cabeça tranquila e focando no objetivo, a gente tem uma grande chance de conseguir um bom resultado. As meninas estão felizes, treinando bem, a parte médica, técnica, todo mundo junto, unido, para que possamos nos apresentar bem. Esse é o nosso objetivo – destacou Adriana Santos.

A estreia no Pré-Olímpico de Bourges, na França, será no dia 6, às 14h, com transmissão do SporTV. No dia 8, o Brasil pega a França, às 16h30, e fecha o Pré-Olímpico no dia 9 contra a Austrália, às 10h. O torneio dá três vagas em Tóquio 2020.

As novidades desta convocação ficam por conta da pivô Carolina e da armadora Alana. Lesionada, a pivô Nádia Colhado não pôde participar dessa etapa de treinos, assim como a pivô Stephanie Soares, com compromissos universitários nos Estados Unidos.

A seleção feminina vem numa crescente. O Brasil conquistou os Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, quebrando um jejum que vinha desde 1991. Depois, foi bronze na AmeriCup, fazendo ótimos jogos contra Canadá e Estados Unidos. Por último, venceu Argentina e Colômbia no Pré-Olímpico das Américas para se classificar para o Pré-Olímpico Mundial de Bourges.

A CBB é o órgão nacional do basquete. É uma associação independente, formada por 27 federações por todo o Brasil. É reconhecida como a única autoridade competente no basquete pela Federação Internacional de Basquete (FIBA) e pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB).