De dentro para fora do Jogo, uma visão diferente de quem de alguma forma viveu O Basquete.
Caras novas na seleção brasileira, Raphaella Silva e Raphaella Monteiro
As jovens Raphaella Silva e Raphaella Monteiro estão adaptadas e trabalhando forte com a Seleção em Pindamonhangaba.
Foto: Kiko Ross/CBB

A primeira convocação é sempre inesquecível, mas para as novatas da Seleção Brasileira Adulta Feminina, Raphaella Silva, pivô de 18 anos e Raphaella Monteiro, ala/pivô de 22 anos, é mais do que isso, significando também a realização de um sonho de infância. As ‘caras novas’ integram o grupo do selecionado nacional, que está treinando no ginásio Municipal João do Pulo, em Pindamonhangaba – SP, na preparação para disputar a Copa América – 2017 ‘FIBA Women’s AmeriCup – 2017′.

“Já pensei que estaria na Seleção Brasileira Adulta, mas não nesse momento, no entanto, estou treinando forte e preparada, pensando em ficar no grupo que vai disputar a Copa América. O trabalho em Pindamonhangaba está sendo intenso; antes da apresentação estava de férias, por isso, o começo foi difícil, mas agora estou adaptada e as coisas estão caminhando bem, já que tenho aprendido bastante com a comissão técnica e também com as jogadoras mais experientes”, explicou a pivô Raphaella Silva.

A ala/pivô Raphaella Monteiro não pensa diferente da companheira.

“Estou muito feliz em estar com a Seleção Brasileira, que sempre foi um sonho e trabalhei forte para que isso ocorresse. Vou seguir treinando duro para ajudar a Seleção Brasileira e também para buscar o meu espaço na equipe que vai disputar a Copa América”, acrescentou.

Para o técnico Carlos Lima, que também é uma novidade em termos de Seleção Brasileira Adulta Feminina, as duas jogadoras estão inseridas neste processo de renovação do basquete feminino brasileiro.

“As duas fazem parte da renovação do basquete feminino nacional, que está iniciando um novo momento. Elas já vinham dos nossos selecionados de base”.

Já na visão da supervisora do departamento feminino, Adriana Santos, as duas tiveram bons momentos nos selecionados de base.

“São jogadoras de muitas qualidades, com passagens pela seleção nas categorias de base; tenho certeza que irão aportar muito para o grupo em todos os sentidos. A primeira convocação para a equipe adulta sempre tem um sabor especial e eu espero que elas possam aproveitar esse momento”, comentou a campeã Mundial de 1994.

SOBRE O AUTOR Diego Andrade, mais conhecido como Diego Silver. Professor de Educação Física. Pai, viciado em coisas de Nerd e é claro entusiasta do Basquetebol. Ex-Aluno do Bi-Campeão Mundial Rosa Branca, quando o mesmo era servidor do SESC Consolação. CONHECER TODO TIME
RESENHE COM A GENTE AÍ!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

 
 
VOLTAR AO TOPO
%d blogueiros gostam disto: