Seattle Storm, conquista o título da WNBA 2020

Equipe de Washington vence o seu quarto título da história e se iguala a Comets e Lynx como maiores campeões da WNBA

No início da noite de terça-feira (06), o favoritismo da pré-temporada prevaleceu. O Seattle Storm dominou completamente o Jogo 3 das finais da WNBA 2020, vencendo o Las Vegas Aces,primeiro colocado da temporada regular e time da MVP da temporada A’ja wilson, por 92 a 59. A maior margem de vitória na história das Finais da WNBA.

Já conhece o canal do Área Restritiva no Youtube? Clique e se inscreva

O Storm varreu o  Aces para ficar com o quarto título de sua história – Os outros títulos de Seattle foram em 2004, 2010 e 2018. A equipe se juntou a Houston Cornets (1997 a 2000), uma franquia extinta, e Minnesota Lynx (2011, 2013, 2015 e 2017) na conquista de seu quarto título, empatado em maior número na história da WNBA, que começou em 1997. 

A franquia de Washington  levantou o caneco com merecimento. Seattle Storm se credenciou para as finais da WNBA desta temporada depois de derrotar o Minnesota Lynx também por 3 a 0. A brasileira Damiris Dantas teve boa atuação, mas não o suficiente para impedir a eliminação do time de Minneapolis

No dia 2 de outubro a bola subiu para a decisão em uma série de cinco jogos entre Seattle Storm e Las Vegas Aces. No primeiro confronto, a equipe já demonstrava sua dominância vencendo por 93 a 80. 

No segundo duelo, dia 4 de setembro, Breanna Stewart e Sue Bird lideraram a equipe e garantiram mais uma vitória, por 104 a 91. Após abrirem 2 a 0 na série decisiva, as jogadoras do Storm precisavam apenas confirmar o favoritismo, e fizeram com maestria.

Seattle teve praticamente o mesmo grupo principal que ganhou o campeonato de 2018 neste ano, liderado por Stewart, Bird e Jewell Loyd. Breanna Stewart e Sue Bird ajudaram o Storm a terminar uma temporada dominante com outro campeonato.

Breanna Stewart foi mais uma vez a cestinha do jogo com 26 pontos. Sua grande atuação nas finais foi recompensada com o prêmio de MVP da decisão, eleita de forma unânime. Foi a segunda vez em sua jovem carreira que ela ganhou o prêmio, tornando-se a quinta jogadora com mais de um MVP’s em finais.

A veterana Sue Bird, que fará 40 anos na próxima semana, foi mais uma vez um catalisador para o Storm. Bird terminou o jogo com cinco pontos e sete assistências e ficou com média de 11 assistências por jogo na final.

Bird tornou-se a segunda jogadora mais velha a ganhar um título WNBA, atrás de Taj McWilliams-Franklin, que estava a 13 dias de completar 41 anos quando venceu a WNBA com o Minnesota Lynx em 2011. A jogadora que guiou Seattle aos títulos em 2004, 2010 e 2018; teve média de 9,5 pontos, 9,2 assistências em seis jogos pelos playoffs. 

A veterana ajudou o Storm a estabelecer um recorde de assistências nas finais durante o Jogo 2, acumulando 10 das 33 assistências da equipe. Antes disso, Bird acumulou 16 assistências para outro recorde de finais e playoffs da WNBA no jogo 1.

Uma das muitas jogadoras que cresceu idolatrando o  astro do Los Angeles Lakers, Kobe Bryant, Jewell Loyd foi outra jogadora de destaque nesse tetracampeonato com 19 pontos, nove rebotes e quatro assistências. 

Loyd muito emocionada dedicou seu segundo título da WNBA a Kobe e sua filha Gianna Bryant, que faleceram em um acidente de helicóptero em janeiro. Bryant trabalhou com Loyd em seu jogo e deu a ela um apelido – Gold Mamba, lembrando  seu famoso apelido Black Mamba.

Este ano foi muito difícil para mim, isto é por Kobe, Gigi, a família Bryant e por Breonna Taylor. Sentimos muitas emoções neste jogo“, disse Loyd a Holly Rowe da ESPN, enquanto lutava contra as lágrimas.

A equipe trocou abraços na quadra central após a campainha final, enquanto confetes verdes e amarelos escorriam sobre eles. Após a celebração na quadra, a liga teve as famílias dos jogadores em uma tela de vídeo comemorando em todo o mundo. Como a temporada foi disputada em uma bolha em Bradenton, Flórida, a liga permitia que cada jogador tivesse apenas um convidado.

Pelos lados do Las Vegas Aces a MVP da temporada regular, A’ja Wilson, anotou 18 pontos e 6 rebotes. Carolyn Swords apareceu bem nos rebotes (10 no total), mas não contribuiu muito na pontuação (6 pontos) para a equipe de Nevada, que chegou à final após eliminar o Connecticut Sun em uma equilibrada série (3 a 2).

Seattle Storm x Las Vegas Aces – O jogo

O Las Vegas Aces iniciou a partida jogando melhor, dispostas a forçar o jogo 4 e impedir o triunfo do Seattle Storm na noite de terça-feira(6). Lideradas por A’ja Wilson, MVP da temporada regular, marcaram os primeiros sete pontos do jogo e 11 dos primeiros 13. 

A equipe da MVP ainda lideravam por cinco(21 a 16), quando o Storm fechou o quarto em dois minutos marcando sete pontos consecutivos e encerrou a parcial na frente: 23 a 21.

No segundo quarto, Seattle aumentou sua vantagem na partida. Abrindo o placar por 4 a 0, estenderam sua sequência para 11-0 e liderando por uma diferença de seis, 27 a 21. Os Aces erraram seus primeiros quatro tiros do segundo quarto.

Seattle dominou todas as ações do jogo, mesmo sem Breanna Stewart, que sofreu a terceira falta ainda no início do período e teve que se ausentar por mais de 7 minutos. 

A’ja Wilson deu apenas um tiro no segundo período, devido uma boa marcação sobre ela. Storm foi para o intervalo com boa vantagem de nove pontos: 43 a 34.

As Storm abriu o terceiro quarto com uma corrida de 12-2, a equipe colocou 20 pontos de frente (58 a 38) antes mesmo da metade do período. Lideradas por Stewart, a equipe fechou mais uma parcial com 27 pontos de vantagem: 75 a 48.

O penúltimo quarto foi decisivo para que o Seattle  saísse vencedor, com 32 pontos marcados contra 14 das adversárias. A equipe de Las Vegas sentiu a diferença no último quarto e foi presa fácil para Seattle.

A equipe de Breanna Stewart abriu mais de 30 pontos de vantagem e administrou a partida com tranquilidade para varrer o Las Vegas Aces e conquistar o quarto título da franquia por 92 a 59.

O Área Restritiva está no YouTube, conheça o nosso canae se inscreva.

Já imaginou um grupo para discutir Basquete como se estivesse em um bar? Conheça o Bar do Área!

Fique por dentro do que está acontecendo no Área em nossas redes sociais; marcamos presença no FacebookInstagram e no Twitter. Ah! Também estamos no Catarse, aqui você conhece todo o projeto do Área Restritiva.

Leia mais!

Deixe sua opinião

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Compartilhe!

Se inscreva!

últimas publicações