Todo mês um texto diferente, sobre uma experiência diferente como técnico de Basquete. Dessa vez, a reflexão é descobrir quem é o responsável. Porque, afinal, eu sou pai, mas não sou o pai deles. Então porque a responsabilidade é minha?

Eu tenho diversas responsabilidades e uma delas, além da afetiva, é a responsabilidade sobre as minhas crianças. Sim, é assim que eu chamo os meus alunos, eu chamo todos eles de “minhas crianças” e é partindo daí que vamos conversar hoje, okay?! Vamos falar sobre de quem é a responsabilidade.

Bom, quem me conhece sabe como eu trato meus alunos e converso com eles sobre tudo. Eu realmente pareço pai às vezes e, nesse momento, eu não sei dizer se isso é um erro ou um grande acerto, porque por me importar muito com eles em alguns momentos, as pessoas podem esquecer de quem é a responsabilidade.

Então, vamos lá. Ser técnico de Basquete, ser professor, ser educador, é ter empatia, é saber lidar com a faixa-etária em que está trabalhando; é saber conversar com eles e, preciso falar para vocês: o técnico de Basquetebol é professor de educação física. E eu aprendi na faculdade (e tenho isso comigo até hoje) que o professor de educação física sempre fala de igual para igual com o aluno; porque ele é o profissional que está falando com o aluno no mesmo nível. Apesar de existir a hierarquia entre professor e aluno, os dois estão em pé em igualdade.

Logo, preciso falar com eles de igual para igual sempre, entendendo o lado deles e falando com eles com empatia e respeito.

Mas, ainda assim, eu pergunto para vocês de quem é a responsabilidade? O técnico de Basquetebol é o professor de educação física, mas não é o pai, certo? Então, de quem é a responsabilidade?

Em um determinado momento, eu fui indagado por uma mãe. Ela estava questionando o que eu estava fazendo para manter o filho dela em casa durante o começo do período de quarentena. Só que, quando ela falou comigo, eu estava na minha casa, com os treinos suspensos.

Nas semanas que precederam a quarentena eu já estava conversando com os garotos sobre os cuidados para a prevenção. Era algo que estava chegando e eles precisavam ter cuidado, quando a quarentena veio e os treinos foram suspensos, eu alertei sobre os cuidados e pedi que ficassem em casa (temos um grupo no whatsapp para isso).

Mas a mãe não estava contente porque ela estava trabalhando e o filho estava no parque jogando Basquete. E eu pergunto mais uma vez: de quem é a responsabilidade?

Minha, como técnico de Basquete, ou dos pais e responsáveis?

Eu entendo que muitos pais trabalham (e trabalham muito), eu sou pai e trabalho (mas trabalho muito), conseguindo ainda organizar meus horários para fazer parte o máximo possível da vida da minha filha. Afinal, eu entendo que além de tudo essa é minha responsabilidade. Então, de quem é a responsabilidade?

Alguns pais estão reclamando da suspensão das aulas, fechamento de áreas comuns, clubes e parques públicos. Entendo que vivemos em uma sociedade caótica e que por conta da desigualdade que temos em meio dessa sociedade os pais precisam se desdobrar para criar as crianças. Mas, temos sempre que lembrar que a tal responsabilidade é dos pais, cabe a eles, e a quem estiver exercendo esse papel, zelar pela saúde física, emocional e intelectual de suas crianças.

A escola não é um local para os filhos ficarem para os pais trabalharem, mas um local de aprendizado; e as quadras e ginásio onde os técnicos de Basquetebol atuam também são esses espaços de aprendizado e conhecimento. Logo, não somente eu, mas garanto que outros técnicos gostaríamos de ter a mesma tratativa e respeito.

Vamos lembrar aqui então que a responsabilidade não é do técnico e que o ginásio/quadra não é um lugar para deixar as crianças e ir trabalhar.

De certa forma tudo isso me assusta. O questionamento sobre aulas suspensas, sobre quando voltam as aulas, sobre escolas fechadas, sobre clubes fechados… Mas, todos esses questionamentos são feitos por que não querem as crianças em casa e não porque é importante as crianças estarem em um ambiente de saber.

Queridos pais, pensem comigo: O clube é um local de conhecimento? sim é! É importante para eles? sim é! Mas de nada adianta em um momento como esse uma criança estar em parques e clubes fazendo atividades coletivas e voltar tendo se transformado em um agente transmissor do Covid-19.

Sendo assim, entendam que é de responsabilidade dos pais e responsáveis zelar pela integridade da saúde, física, emocional e psicológica das crianças. Não do técnico. Não é responsabilidade do técnico manter as crianças em casa nesse momento, até porque o técnico gostaria de estar na quadra e não em casa de quarentena.

Respeite esse momento, seja qual for, tenham responsabilidade, afinal, ela é de vocês. E lavem as mãos!

Quer ler outras crônicas e reflexões? Todo mês tem texto novo nas notas do autor.

O Área Restritiva está no YouTube, conheça o nosso canal. Vídeos três vezes por semana.

Fique por dentro do que está acontecendo no Área em nossas redes sociais; marcamos presença no FacebookInstagram e no Twitter. Ah! Também estamos no Catarse, aqui você conhece todo o projeto do Área Restritiva.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.