De dentro para fora do Jogo, uma visão diferente de quem de alguma forma viveu O Basquete.
VOCÊ ESTÁ EM:
  Mogi Basquete no Masculino e no Feminino?! Bom a Kelly Santos está confiante

Há menos de um mês, a Liga de Basquete Feminino (LBF) apresentou o planejamento para a temporada 2020 da LBF CAIXA, principal competição feminina da modalidade no país. E surpreendeu os fãs mogianos e amantes do basquete feminino, com a presença dos representantes do Mogi da Cruzes IKSM-SP. Mogi Basquete no masculino, e agora no feminino?!

O projeto de formar uma equipe feminina de basquete em Mogi, ainda está em fase de análise e depende de parceiros para a formação tendo em vista a disputa da temporada 2020 da Liga de Basquete Feminino. A pivô Kelly Santos, medalha de bronze com a seleção brasileira nos Jogos de Sydney, em 2000, e que defendeu o Ituano na última edição da LBF está à frente da iniciativa promissora.

Na Foto, Kelly Santos em partida pela seleção brasileira, ela está utilizando a o uniforme verde claro da seleção, aparentemente comemorando a pontuação feita com a mão direita levantada com o punho cerrado. 'Paixão, esse foi um dos fatores que nos fez escolher Mogi', diz Kelly Santos - Área Restritiva
Kelly Santos, atleta e gestora do projeto Mogi das Cruzes IKSM-SP.
Foto: Luis Claudio Antunes/Portal R3

Segundo Kelly, que fará parte da equipe como atleta e que leva o nome do Instituto Kelly Santos Müller, o objetivo é ter um time feminino que sirva de exemplo, e incentivo à prática do esporte pelas meninas. Com um time masculino que completa a elite do basquete brasileiro desde 2012, a cidade de Mogi das Cruzes encontra-se perto da equipe feminina na modalidade em 2020. A Kelly conversou com o Área Restritiva sobre o planejamento do Mogi das Cruzes IKSM-SP como captação dos recursos e escolha pela cidade de Mogi das cruzes, e vocês podem conferir um pouco desse bate-papo abaixo:

Área Restritiva: Como surgiu a idealização do Mogi das Cruzes IKSM?

Kelly Santos: Quem busca os patrocínios e elaborou a ideia foi o instituto. Avaliando diversas cidades, entendemos que Mogi das Cruzes está dentro do perfil que buscamos. 

ÁR: Como foi a escolha pela cidade de Mogi das cruzes como sede da equipe?

KS: Mogi é uma cidade apaixonada pelo basquete, e queremos fulminar a prática da modalidade para as meninas tambémNossa intenção é agregar a uma cidade que já vem fazendo um trabalho muito sólido no esporte. 

ÁR: O projeto contemplará categorias de base?

KS: Sim, nosso segundo foco é a categoria de base. Mas, para isso acreditamos que precisamos de um time profissional feminino como espelho. Em nossos focos estão também a educação, terceira idade, deficientes físicos, mas o único foco hoje é captar parceiros para o ingresso na LBF 2020. 

ÁR: Mogi será o segundo projeto de basquete feminino do Instituto IKSM, nos conte um pouco sobre o trabalho inicial e como está seu andamento?

KS: O primeiro projeto foi em Itu, onde contribuímos com as conexões, implantações e captação. O time de itu segue muito bem estruturado, e com os frutos desse trabalho, nós conseguimos chegar ao vice campeonato paulista na última temporada.

ÁR: O anúncio da implantação de uma equipe feminina de basquete em Mogi pegou os fãs de surpresa, e animados. Como recebeu o retorno positivo da torcida mogiana?

KS: Nossa, quanto amor senti dos mogianos. Muitas mensagens de incentivo fortalecendo nossa luta. O que me pegou de surpresa foi a disponibilidade da torcida mogiana em querer integrar o projeto, e nos indicar parceiros, tenho recebido muito carinho e suporte profissional dos mogianos. Se criou uma situação que vai ficar difícil recuar, acredito muito que voz do povo é a voz de Deus, já está aprovado nosso projeto pela voz do povo mogiano. Agradeço o reconhecimento dos mogianos em relação a minha imagem no cenário do basquete feminino, mas confesso que temia as desconfianças por ser de fora da cidade, mas hoje tenho pessoas me ajudando de forma voluntária por uma luta que não é mais minha, a cidade comprou a briga e merece mais uma grande equipe. Paixão, esse foi um dos fatores que nos fez escolher Mogi. Buscamos paixão, fazemos nosso trabalho com paixão.

ÁR: A equipe feminina não terá nenhuma ligação com o time masculino?!

KS: Essa situação está em análise, são dois campeonatos e calendários diferentes. A coisa em comum sem dúvida é que as duas equipes defenderá Mogi das Cruzes com muito amor. O Nilo (Guimarães) já tem feito um trabalho maravilhoso com o esporte na cidade, e vamos seguir todos os conselhos possíveis que Nilo nos puder proporcionar. Em reunião que tivemos com o secretário Nilo e o prefeito Marcus (Mello), ambos colocaram a estrutura da cidade à disposição do basquete feminino.

ÁR: O Ginásio Hugo Ramos, o Hugão será uma das estruturas utilizada pela equipe? 

KS: Existe um outro ginásio em construção, mas não chegamos a definir em qual dos dois jogaríamos.

ÁR: Em entrevista à LBF, disse que o prefeito, Marcus Melo, e o secretário de esporte e lazer, Nilo Guimarães aprovaram o projeto da equipe feminina. Como será a relação do Instituto com os órgãos municipais além das estruturas?

KS: Esse processo ainda está em análise. Só posso esclarecer que o instituto nunca recebeu nenhuma verba desde sua fundação a sete anos. Fazemos um trabalho social voluntário em busca de melhorias na educação, esporte e bem estar do cidadão.

Sob o comando da Branca Gonçalves, o Mogi das Cruzes IKSM já tem técnica definida.
Coach Branca, já atuou como técnica e assistente técnica de times de Basquete Feminino.
Foto: Divulgação.

ÁR: Anunciaram a Branca Silva como técnica da equipe, como foi a escolha da comandante?

KS: A branca além de excelente pessoa, é muito intensa para tudo, extremamente inteligente e estudiosa. Ter uma mulher no comando, sem dúvida premia todas as grandes treinadoras que já passaram no cenário nacional, eu particularmente sempre tive excelente treinadoras mulheres. Branca enquanto jogadora foi uma das melhores armadoras da história, ela colocava muita paixão no jogo, sentia muita empatia com a companheira e logo conduzia o time as vitórias mais desafiantes que já vivi enquanto companheira de equipe dela. Eu busco essa paixão nesse novo projeto. 

ÁR: Um pouco precipitado da minha parte perguntar, mas possuem alguns nomes levantados para compor o elenco ou aguardam o desfecho da captação de recursos?

KS: Aguardando a captação de recursos. Não podemos fazer propostas oficiais para ninguém ainda.  Só consigo dizer que o plano está bem desenhado, porém precisamos lutar contra o tempo, o prazo de inscrição 31 de janeiro.

ÁR: Como está a situação da captação de patrocínios/recursos para viabilizar a participação do Mogi das Cruzes IKSM na edição de 2020 da LBF? As empresas são de Mogi?

KS: Existe uma equipe especializada em captação buscando viabilizar a participação da equipe na LBF 2020. As conversas até agora foram com empresas fora de mogi. Buscamos um desfecho final positivo, e mais apoio das empresas de Mogi, empresas de grande ou médio porte. As necessidades de uma equipe são muitas e a soma de apoios de pequenas empresas também pode ajudar.

ÁR: E o processo de divulgação do projeto? 

KS: Preciso ressaltar que o apoio da mídia tem sido incrível. Hoje, contamos com três mogianos que se voluntariaram através das notícias que viram ou ouviram pela tv, rádio e mídia escrita. Agradeço a busca por informar, é previsto um ano excelente no cenário para o basquete feminino.

ÁR: Por fim, gostaria de deixar um recado para a torcida mogiana?

KS: Eu quero agradecer a torcida mogiana por já ter tornado esse novo projeto em uma luta da cidade de Mogi das Cruzes, demonstrando tanta empatia e apoio a nossa chegada. Ainda estamos chegando e já somos bem vindo, isso è muito raro e nos faz ter certeza que escolhemos a cidade certa.

Vale lembrar, que a inscrição de equipes na LBF termina na última sexta-feira (31), prazo final para ingressar na LBF Caixa 2020.  O anúncio oficial dos participantes da próxima edição está previsto para fevereiro. Como na última edição, a competição inicia em 08 de março, Dia Internacional da Mulher.

SOBRE O AUTOR Olá pessoal! Sou a Graziela Cristina, mas podem me chamar de Grazi, estudante de Jornalismo e fascinada pelo Basquete e suas magias! Amo histórias, quero trazer à tona a paixão do torcedor, mostrar quem é o verdadeiro " sexto homem", a torcida. Então, vamos juntos nessa série?! CONHECER TODO TIME
RESENHE COM A GENTE AÍ!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

 
 
VOLTAR AO TOPO
%d blogueiros gostam disto: