De dentro para fora do Jogo, uma visão diferente de quem de alguma forma viveu O Basquete.
VOCÊ ESTÁ EM:
  Na imagem, uma montagem com o jogador do Orlando Magig Markelle Fultz, o fundo da imagem tem dois triângulos formando o fundo da imagem, um cinza claro, outro cinza escuro e um rodapé azul royal. Fultz está no meio da imagem, ele está em tons de preto e branco e o uniforme em azul. Ele está se mexendo, driblando a bola com a bola direita. O Avião chamado Markelle Fultz está pronto para decolar - Área Restritiva

Markelle Fultz foi a primeira escolha geral do draft de 2017, em sua temporada de estreia passou por dificuldades devido as lesões e acabou sendo trocado para o Orlando Magic em 2019, passou-se um tempo desde a troca, e o que aconteceu com Fultz desde então?

O jovem jogador de 21 anos saiu do College com números relativamente altos, Fultz teve média de 23.2 pontos e, 5.9 assistências, tendo 47.6% de aproveitamento de quadra.

Fultz apareceu em quadra em apenas 33 jogos pelo 76ers tendo somado no total 672 minutos, e, somando 255 pontos, tendo média de 41,2% de aproveitamento de quadra.

Na atual temporada Fultz tem melhorado seus números, são 43 jogos até agora 1176 minutos, 513 pontos, 46.2% de aproveitamento de aproveitamento de quadra, mas, foi só a cura de lesão que fez ele melhorar?

A resposta é não, Fultz tem uma rara síndrome que afeta nervos do ombro direito e nervos do pescoço, o que trouxe uma dificuldade a mais para ele poder ter liberdade de fazer seu jogo, o que mudou foi sua mentalidade entendeu que precisava mudar algumas coisas no seu estilo de jogo, parar de forçar arremesso, sua síndrome não irá passar, a NBA exige alto nível de maturidade, ele não estava mais no College, não poderia manter sua mentalidade daquela maneira, não há espaço para errar se você quer ter destaque na liga.

Fultz na sua pré temporada com o 76ers em 2017 alterou no mínimo 3 vezes sua mecânica para tentar alcançar seu melhor.

O resultado não foi dos melhores, na temporada inaugural Fultz surgiu com uma mecânica estranha, a bola saia das suas mãos na altura da cabeça do atleta, era um arremesso praticamente reto, ganhava pouca altura, a bola acabava não fazendo o movimento ideal para cair na cesta, em razão da limitação que a Síndrome do Desfiladeiro Torácico lhe impôs.

Na foto, Markelle Fultz quando jogava no Philadelphia 76ers, ele está com o uniforme branco do 76ers, na região do peitoral está escrito "Phila", em azul com o contorno vermelho, duas linhas acompanham a gola e o punho da regata, uma linha azul outra vermelha, por baixo ele está utilizando uma camiseta térmica branca, ele está olhando para frente, aparentemente concentrado em algo. O Avião chamado Markelle Fultz está pronto para decolar - Área Restritiva
Foto: NBAE/Getty Images

Na atual temporada Fultz manteve essa dinâmica de arremesso, mas, passou a entender que não depende dele para fazer seu jogo brilhar, Fultz tem escolhido melhor as jogadas, e não tem forçado arremessos, nos últimos 5 jogos teve média de apenas 1,8 tentativas de bolas do perímetro por jogo, porém, sua média de pontos foi de 15,2 pontos por jogo.

O potencial do jovem Fultz pode ter sido reduzido por conta da lesão, no entanto, ele dá sinais claros de evolução dentro dessa temporada,  no último jogo do Magic contra o Los Angeles Lakers ele anotou um triplo duplo, e, o mais impressionante foi seu volume de jogo, por diversas vezes usou bem sua velocidade para abrir espaços, e o que nos chamou a atenção era que Lebron o marcava por diversas vezes quando isso aconteceu.

Na foto, Markelle Fultz na partida entre Los Angles Clippers e Orlando Magic, no momento ele está infiltrando na defesa do Lakers, fazendo um reverse entre dois defensores da equipe de Los Angeles. O Orlando Magic jogou de uniforme branco e o Lakers com seu uniforme roxo. O Avião chamado Markelle Fultz está pronto para decolar - Área Restritiva
Foto: Kelvin Kuo-USA TODAY Sports

Não seria espanto nenhum se na próxima temporada Fultz entrasse na briga do premio de jogador que mais evoluiu, se o camisa 20 começar a treinar defensivamente e continuar evoluindo sua massa corporal e inteligência estaremos caminhando para ver uma das maiores reviravoltas de um jogador que já foi dado como apenas mais um jogador de mídia na Faculdade que não deu certo na NBA.

Para quem quiser acompanhar o jovem de perto basta assistir os próximos jogos do Magic contra, Celtics (24/01), Clippers (26/01), Heat (27/01).

Não deixem de acompanhar o Área Restritiva nas redes sociais e se inscrever no nosso canal no YouTube.

Todas as terças e quintas, textos especiais sobre a NBA aqui no Área, publicações semanais sobre o que aconteceu e o que pode acontecer no decorrer da semana e da temporada da NBA. Acompanhem também o que acontece no Área Restritiva, no Facebook, Instagram e no Twitter.

SOBRE O AUTOR Bruno Carvalho, Paulisteiro (paulista com mineiro) 23 anos, analista operacional, apaixonado pelos números do basquete. Conheci o esporte através dos videogames e nunca mais larguei. Analises e curiosidades do esporte são meu forte. Precisando estamos as ordens. Kavod ha-Shem​ CONHECER TODO TIME
RESENHE COM A GENTE AÍ!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

 
 
VOLTAR AO TOPO
%d blogueiros gostam disto: