De dentro para fora do Jogo, uma visão diferente de quem de alguma forma viveu O Basquete.
VOCÊ ESTÁ EM:
  Mercado da NBA - Os problemas nas negociações da NBA

A NBA é uma liga que paga muito bem aos seus jogadores porém, as vezes os contratos custam mais do que dinheiro para as franquias. Alguns contratos mal planejados acabam custando o planejamento da franquia por alguns anos.

Pensando nisso decidimos trazer 5 contratos que impediram a franquia de aumentar seu poder de mercado.

Mercado da NBA - Os problemas nas negociações da NBA

5- Jrue Holiday – 5 anos por 131 milhões

Apesar de um bom jogador esse contrato dado a ele atrapalhou os planos da franquia de crescer, o Pelicans tinha Davis e poderia ter montado um suporte melhor para a estrela da franquia se esse contrato não fosse firmado com o Holiday.

Uma das possibilidades era renovar com Holiday com um contrato menor, ou, que aumentasse seu valor apenas nos anos finais do contrato que era quando o jogador atingiria seu auge físico na liga.

No mesmo ano que esse contrato foi oficializado tínhamos algumas boas opções no mercado por um preço justo, Montrezl Harrell,Will Barton,Derrick Favors, entre outros.

Podemos concluir que caso esse contrato fosse melhor planejado além da adição do Randle pelo Pelicans, a franquia poderia adicionar mais um ou dois bons jogadores e, dar um time melhor para o Anthony Davis antes dele solicitar a troca

4- Juwan Howard 7 anos por 105 milhões

Esse caso é um clássico do arrependimento rápido da franquia, não pela qualidade do jogador mas, por jogadores melhores terem assinado por um valor parecido.

Na mesma época em que a extinta franquia do Washington Bullets fechar o acordo com Howard, Shaqille O´Neal e Alonzo Mourning assinaram pelo mesmo valor com outras franquias.

Howard foi all Star apenas uma vez, enquanto Shaq foi um dos melhores de todos os tempos na sua posição e Mourning foi all star 4 vezes em 7 temporadas que ele disputou, esse contrato além de atrapalhar a franquia, foi vexatório pro Gerente que propôs o acordo.

3- Chris Bosh 5 anos por 118 milhões

Ninguém questiona a importância do Bosh para o Heat, o jogador ajudou a franquia a chegar em 4 finais da liga mas, após assinar o contrato jogou apenas 97 jogos, no ano em que Chris Bosh assinou o contrato Lebron James e Dwayne Wade também ficaram sem contrato, além dos companheiros de equipe do Bosh, tínhamos outras boas opções, Gordon Hayward, Lance Stephenson, Tim Duncan,Dirk Nowtizki, Carmelo Anthony

2- Timofey Mozgov 4 anos por 64 milhões

O Los Angeles Lakers estava no momento de planejar seu futuro sem Kobe Bryant, fez isso da pior maneira possível, simplesmente acabou com o cap juntando o salário do Mozgov e de Luol Deng ( assinou por 72 milhões),

O ano era 2016 porém já sabíamos que isso era uma das piores coisas a se fazer, Mozgov e Deng não são jogadores para ajudar jovens a se desenvolver e muito menos estrelas que poderiam elevar o patamar da franquia.

No mesmo ano Durant, Al Horford, Mike Conley, eram um dos jogadores diponiveis mas, o Lakers preferiu assinar com Deng e Mozgov, acabou que Mozgov foi trocado pouco tempo depois, e o Lakers começou a draftar novatos e tentar uma nova reconstrução.

1- Chandler Parsons 4 anos por 94 milhões

Exemplo típico de azar com dinheiro mal gasto, Chandler Parsons perdeu dois dos 4 anos de contrato por conta de cirurgia no joelho, o contrato foi firmado também no ano de 2016 onde tínhamos muitas boas opções no mercado.

Esse contrato foi o 15° maior contrato da liga na época.

Grizzilies acabou não saindo do status de franquia mediana e o contrato do Parsons fez estrago por muito tempo.

Errar planejamento não é exclusividade de franquias de pouco mercado, porém, tem sido recorrente na liga, cada vez mais os GM´s tem ferramentas para driblar o Salary Cap, porém, abrir os cofres tem que ser para o jogador certo, e isso não tem acontecido na NBA, cada vez mais temos visto valores absurdos para jogadores que sabemos seu potencial máximo, enquanto os gerentes não aprendem vamos ter que nos acostumar a ver “Mozgoves e Parsons” enriquecendo com basquete.

SOBRE O AUTOR Bruno Carvalho, Paulisteiro (paulista com mineiro) 23 anos, analista operacional, apaixonado pelos números do basquete. Conheci o esporte através dos videogames e nunca mais larguei. Analises e curiosidades do esporte são meu forte. Precisando estamos as ordens. Kavod ha-Shem​ CONHECER TODO TIME
RESENHE COM A GENTE AÍ!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

 
 
VOLTAR AO TOPO
%d blogueiros gostam disto: