De dentro para fora do Jogo, uma visão diferente de quem de alguma forma viveu O Basquete.
Kelly Santos e 20 anos servindo a Seleção Brasileira de Basquete
A pivô Kelly Santos comemora 20 anos da primeira convocação ao selecionado nacional.
Foto: Luis Claudio Antunes/Portal R3

A pivô Kelly Santos, que defendeu o Uninassau Basquete – PE na última temporada, está completando 20 anos vestindo a camisa da Seleção Brasileira Adulta Feminina. A primeira convocação da experiente jogadora foi na Copa América de 1997, disputada de 05 a 10 de agosto, no ginásio Estadual Geraldo José de Almeida, em São Paulo – SP, com o Brasil sagrando-se o campeão invicto ao suplantar os Estados Unidos, na grande final, por 101 a 95.

“Foi uma coisa surpreendente e que alavancou a minha carreira, pois vinha da disputa de uma Copa América Sub-19, em São Luís, e o técnico Antonio Carlos Barbosa foi conferir de perto a competição, gostando da minha produção. Logo em seguida, fui chamada para o selecionado principal e foi uma grande emoção jogar ao lado de jogadoras como a Paula”, relembrou Kelly, de 1m92.

“Desde então, foram diversas convocações, em que a medalha olímpica em Sidney pode ser considerada o ponto alto, mas todas as vezes que vesti a camisa da Seleção Brasileira foi um motivo de orgulho e satisfação, em que procurei dar o meu máximo e ajudar sempre da melhor maneira possível. E, desta vez não é diferente, o meu pensamento é ajudar o grupo de todas as formas”, acrescentou a pivô.

“Mas, por muitas vezes eu pensei em desistir, entretanto, sempre busquei força para prosseguir e vencer os obstáculos. Joguei em diversos países, conquistei diversos títulos e tenho vivido muitas alegrias ao longo da minha carreira”, complementa a pivô.

Antes de suplantar a equipe norte-americana na citada decisão, o Brasil concluiu a primeira fase com três vitórias e a primeira colocação do Grupo A, enfrentando a Colômbia, Porto Rico e Cuba. Na segunda fase, mais três resultados positivos.

O técnico a dar a primeira oportunidade a Kelly foi Antonio Carlos Barbosa, que atualmente é o gerente esportivo da Seleção Brasileira e está acompanhando de perto os treinamentos em Pindamonhangaba – SP.

“A Kelly estava com apenas 17 anos e foi convocada para disputar aquela Copa América por ter aparecido bem na base. Vivíamos um momento parecido como esse, ou seja, iniciando uma renovação e conseguimos o até então inédito título da Copa América, derrotando o forte selecionado norte-americano na decisão, depois de dois vices na primeira e segunda edições”, relembrou o treinador.

Aos 37 anos, Kelly foi uma das atletas convocadas pelo técnico Carlos Lima para integrar o selecionado brasileiro feminino, que está se preparando para disputar a FIBA Women’s AmeriCup – 2017, a ‘Copa América de Basquetebol– 2017, que será jogada em Buenos Aires, capital da Argentina, de 06 a 13 de agosto.

“Trata-se de uma jogadora que sempre esteve à disposição para servir a Seleção Brasileira e isso precisa ser exaltado, pois mesmo sendo chamada há 20 anos, mantém o ímpeto e a felicidade de estar representando o País em competições internacionais”, explicou Lima.

Ao longo de sua carreira, Kelly Santos atuou pelo:
Leite Moça/Sorocaba – SP;
AA Ponte Preta – SP;
Dpaschoal – SP;
Microcamp/Campinas – SP;
BCN/Osasco – SP
Vasco da Gama – RJ;
Detroit Schock – WNBA;
Bourges Basket – França;
Chieti – Itália;
Santo André – SP;
Nercaleon – Espanha;
AIX Provence – França;
Extremadura Dato – Espanha;
Seattle Storm – WNBA;
Cadi La Seu D´Urgell – Espanha;
UTE – Equador;
Besiktas – Turquia;
Ourinhos Basquete – SP;
Maranhão Basquete – MA;
Club La Estancia – Colômbia;
ADCF Unimed/Americana – SP;
Osmaniye Gençlik Spor – Turquia;
Sport Recife – PE.

Na Seleção Brasileira, a experiente pivô participou de conquistas importantes:
Medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Sidney – 2000
Três vezes campeã da Copa América – 1997, 2001 e 2009
Três vezes campeã sul-americana – 1999, 2001 e 2003, entre outras.

Nos clubes, a pivô foi campeã Mundial atuando pelo BCN/Osasco em 1998, campeã Nacional pelo CR Vasco da Gama em 2001 e duas vezes campeã Paulista: em 1996 pela Microcamp/Campinas e em 1998 pelo BCN/Osasco; além disso, foi uma vez campeã Carioca em 2001, jogando pelo CR Vasco da Gama.

SOBRE O AUTOR Diego Andrade, mais conhecido como Diego Silver. Professor de Educação Física. Pai, viciado em coisas de Nerd e é claro entusiasta do Basquetebol. Ex-Aluno do Bi-Campeão Mundial Rosa Branca, quando o mesmo era servidor do SESC Consolação. CONHECER TODO TIME
RESENHE COM A GENTE AÍ!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

 
 
VOLTAR AO TOPO
%d blogueiros gostam disto: