De dentro para fora do Jogo, uma visão diferente de quem de alguma forma viveu O Basquete.
VOCÊ ESTÁ EM:
  Na foto, Robert Covington com o braço direito levantado fazendo o número três com os dedos, uma alusão dos jogadores de Basquete quando convertem um arremesso de três, ele já está com o uniforme do Rockets, no momento da foto ele está andando, atrás dele é possível identificar o Tyson Chandler com o braço direito levantado comemorando o lance, assim como a torcida atrás deles.Houston Rockets deixou claro suas intenções de plano de jogo - Área Restritiva

O Houston Rockets deixou claro suas intenções de plano de jogo na deadline da atual temporada, o time da cidade da NASA, decidiu abrir mão de seu pivô e ir atrás de um Ala que tivesse um bom chute e contribuísse bastante na defesa, esse jogador foi Robert Covington, mas o que fez o Houston Rockets acreditar novamente no small ball?

O Houston é um dos times que mais se desgasta da maneira errada na liga, o Rockets é um dos que mais tentou fazer defesa de arremessos porém é apenas o 17º em porcentagem de defesas de bem sucedidas, era óbvio que o time estava pensando em um defensor no mínimo razoável para evitar mais esforços em vão e aliviar a pressão defensiva em cima do seu principal jogador James Harden.

Na foto, Robert Covington com o braço direito levantado fazendo o número três com os dedos, uma alusão dos jogadores de Basquete quando convertem um arremesso de três, ele já está com o uniforme do Rockets, no momento da foto ele está andando, atrás dele é possível identificar o Tyson Chandler com o braço direito levantado comemorando o lance, assim como a torcida atrás deles.Houston Rockets deixou claro suas intenções de plano de jogo - Área Restritiva
Foto: AP Photo/Eric Christian Smith.

Convington em Houston, é mais uma aposta do que uma certeza

Houston apostou alto ao trazer o ala, após a lesão no joelho no ano passado o poder defensivo de Covington caiu drasticamente, colocando em números nessa atual temporada seu rating defensivo é o pior da carreira, 110.4, além de sua média de roubadas de bola de 1.7 por jogo ser a pior nos seus últimos 5 anos.

Foi uma aposta errada?

Não, Houston sabe da capacidade do jogador que trouxe e, espera conseguir extrair o máximo de seu jogador. Outro fator a se considerar é que Houston teve que ajustar a rota no meio do caminho, e, sempre é mais difícil mudar a rota quando o caminho já está praticamente traçado, Covington de longe era a melhor opção no mercado considerando o que Houston poderia “pagar” em uma troca.

Prós e Contras do atual Small Ball do Rockets

O fator principal é que ainda estamos em uma era que a estatura média da liga está longe de ser alta, o que favorece os “matches” na rotação com a maioria dos times, um exemplo foi na partida entre Rockets e Celtics no dia 11 de fevereiro onde o Celtics que é um time de estatura baixa tentou mudar seu estilo de jogo no primeiro tempo para tentar contabilizar pontos no garrafão com Kanter e Theis, devido a marcação do Rockets ter encaixado no começo do jogo, o resultado não foi dos melhores, Kanter que tinha vantagem no confronto no post baixo contra o PJ Tucker acabou errando duas jogadas seguidas onde a altura era sua grande aliada.

Outro fator é que o time com a adição de um jogador que tem média 43% de aproveitamento de quadra acaba criando um terceiro gatilho para ser marcado pelo adversário podendo assim abrir espaços para Harden e Westbrook fazerem o que sabem de melhor, jogar no Isolation, os dois astros de Houston são os dois melhores da liga nesse tipo de jogada, atualmente eles somam 22 pontos de média em jogadas de ISO.

O fator que pode complicar e já complicou o Rockets recentemente é que ajuste de rotação na marcação são mais fáceis de executar pelo adversário, com um time muito baixo, você não precisa deixar o pivô marcando o pivô adversário, como foi no caso do Utah Jazz, que optou por deixar Gobbert marcando Westbrook, na ocasião o pivô do Jazz dificultava os arremessos e as bandejas de Westbrook já que a discrepância de altura é algo notável entre os dois jogadores, o que facilitou a vida de Gobbert.

Houston agora tem que procurar da ritmo a esse novo time, o entrosamento é um fato crucial para o small ball funcionar perfeitamente, ainda temos algum tempo até os playoffs, Houston que ainda é visto com certa desconfiança quando entramos em playoffs arriscou tudo que tinha voltando a deixar seu torcedor com esperança, será que veremos Houston agradar aos olhos dos fãs de basquete? Veremos Houston nas finais? Vamos acompanhar os próximos capítulos desse curioso Houston Rockets.

Não deixem de acompanhar o Área Restritiva nas redes sociais e se inscrever no nosso canal no YouTube.

Fiquem de olho no site, textos diários e sempre atualizações sobre o que está acontecendo na semana da NBA, quer saber mais sobre o Mercado da Bola, não deixem de acompanhar nossa coluna sobre as negociações.. Acompanhem também o que acontece no Área Restritiva, no Facebook, Instagram e no Twitter.
SOBRE O AUTOR Bruno Carvalho, Paulisteiro (paulista com mineiro) 23 anos, analista operacional, apaixonado pelos números do basquete. Conheci o esporte através dos videogames e nunca mais larguei. Analises e curiosidades do esporte são meu forte. Precisando estamos as ordens. Kavod ha-Shem​ CONHECER TODO TIME
RESENHE COM A GENTE AÍ!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

 
 
VOLTAR AO TOPO
%d blogueiros gostam disto: