Há quatro anos a frente do Mogi Basquete, Jorge Guerra recebe o título de cidadão mogiano em reconhecimento ao seu trabalho pelo basquete da cidade

Todo fim de temporada do NBB a mesma situação. Contratos encerrados, vínculos renovados, sondagens, novas contratações. O mercado da bola laranja ferve, mas, na cidade de Mogi das Cruzes, entre a torcida mogiana, o mesmo pensamento reina. “O que vai acontecer com o Jorge Guerra?” “Será que o Guerrinha renova?!

Guerrinha, conquistou seu espaço no coração da torcida mogiana apaixonada. Podendo perder todo seu elenco ao final da temporada, a torcida mantém a esperança de uma equipe forte para brigar por títulos, pela permanência do coach. 

O reconhecimento ao técnico pela postura, dedicação e prontidão ao basquete da cidade tornará forma em grande homenagem. Jorge Guerra receberá o Título Honorífico de Cidadão Mogiano, honraria concebida pela Câmara Municipal de Mogi das Cruzes.

“ Em pouco tempo já conquistar uma confiança tão grande da cidade, do time e da torcida por mim é muito gratificante. Considero um título de muito carinho e reconhecimento para o meu lado pessoal e profissional, eu fico muito orgulhoso e feliz, principalmente em uma cidade como Mogi das Cruzes.” – disse Guerrinha ao Área Restritiva

O coach “chegou chegando” no Mogi Basquete em 2016, ciente da pressão por títulos, veio para abrir o caminho das conquistas. Há quatro anos a frente do time, deu seu toque de conhecimento à boa equipe mogiana e o resultado não poderia ser outro: dois títulos nas duas primeiras competições que disputou em 2016/2017: o Campeonato Paulista e a Liga Sul-Americana. Guerra devolveu a alegria ao torcedor, que voltou a comemorar um título depois de 20 anos. Depois, os vice campeonatos Liga das Américas 2018 e NBB 2017/18. 

“Eu sou muito agradecido a cidade de Mogi, por ter me acolhido em um momento difícil meu profissional. Com pessoas do bem, é uma cidade que respira basquete., uma comunidade muito apaixonada. Gratificante, poder agregar valores através do meu trabalho ao Mogi Basquete.” – enaltece Guerrinha 

Antes do novo desafio, Guerra acumulou expressivas conquistas com o Bauru Basket. Pela equipe bauruense, foi bicampeão Paulista (2013 e 2014), campeão da Liga Sul-Americana (2014), da Liga das Américas (2015), vice-campeão da Copa Intercontinental contra o Real Madrid (2015) e vice-campeão do NBB 2014/2015. Onde foi condecorado cidadão bauruense.

O treinador, atualmente, é o técnico com mais jogos (377) e vitórias (242) no NBB (Novo Basquete Brasil), são 65% de aproveitamento. Natural de Franca (SP), o basquete na vida de Guerra iniciou-se quando ele tinha sete anos de idade, morava perto do clube dos Bagres, onde começou o basquete de Franca. 

Como jogador, começou sua carreira na equipe principal de Franca em 1975, com 16 anos e integrou o time da cidade por 22 anos. Guerrinha atuou pelo Franca Basquete, Dharma/Yara/Franca, Monte Líbano, COC/Ribeirão Preto e Seleção Brasileira, onde consagrou-se campeão de cinco Campeonatos Paulistas, cinco Campeonatos Brasileiros, cinco Campeonatos Sul-Americanos e um vice mundial.

Acompanhe o que acontece no NBB, separamos uma série de textos para você.

De carreira vitoriosa, tanto como jogador como quanto técnico, Guerrinha fez parte da geração que conseguiu aquele que é o maior feito da história do basquete brasileiro masculino até a atualidade: vencer os Jogos Pan-americanos de Indianápolis (1987). Vencendo os EUA na final. 

Ao lado de Oscar, Marcel, Cadum e outros grandes nomes, na marcante medalha de ouro conquistada pelo basquete masculino em Jogos Pan-Americanos. Vestiu a camisa da Seleção Brasileira por 13 anos. Neste período, disputou 235 jogos, com direito a duas Olimpíadas (1988 e 1992) e mais dois Mundiais (1986 e 1990)

Após a aposentadoria das quadras, comandou as equipes de COC/Ribeirão Preto, ACF/Campos, Rio Claro Basquete e Bauru Basket, até chegar ao Mogi Das Cruzes. Além de técnico, Guerra apresenta um lado gestor nas equipes que trabalha, em Mogi não é diferente. 

O coach na última temporada, presença ativa desde o início da campanha para montar uma nova equipe e busca por patrocínios, com um orçamento menor, mas que evoluíram passo a passo. Um lado técnico-gestor-administrativo ao lado de Nilo Guimarães, gestor do Mogi e presidente interino da LNB.

Até eu encerrar minha carreira ou talvez ir para outra área, quero focar na gestão esportiva ou projeto social. Tenho esse sonho de ainda continuar no esporte, no basquete. Depois de treinador, trabalhar em projetos sociais agregando mais valores ao basquete.

O foco de Guerrinha é no Mogi. Ele evita traçar planos para o futuro fora do time, mas a captação de recursos financeiros tende a seguir com a equipe. O técnico ainda não renovou seu contrato para a próxima temporada. Perguntado sobre a renovação, pedidos da torcida de contrato vitalício após a condecoração de cidadão mogiano, o coach Guerrinha mandou o recado:

Se dependesse de mim, com certeza, tenho maior vontade de continuar aqui por muitos, muitos anos. Mas, não depende apenas de mim. Depende do time, depende de patrocinadores, sabemos que é uma luta constante do Nilo juntamente com o Reiad (Abdu, presidente do Mogi Basquete), e outras pessoas, para viabilizar o basquetebol em Mogi. Mas estamos ajudando, participando dentro do possível, dentro e fora da quadra. Com certeza dependendo de mim, eu renovaria sim e teria o contrato vitalício. Agora depende de outras circunstâncias e outras situações e tudo mais.” – finaliza Guerra

O Área Restritiva está no YouTube, conheça o nosso canal. Vídeos três vezes por semana.

Fique por dentro do que está acontecendo no Área em nossas redes sociais; marcamos presença no FacebookInstagram e no Twitter. Ah! Também estamos no Catarse, aqui você conhece todo o projeto do Área Restritiva.