Esse trabalho traz umas reflexões interessantes sobre as metodologias de ensino

O Ensino da Técnica e da Tática Novas Abordagens Metodológicas, é um trabalho escrito pelos pesquisadores Luciane da Costa e Juarez do Nascimento, um trabalho que aborda algumas reflexões metodológicas e trás algumas tendências em abordagens de ensino.

O artigo trás algumas informações e abordagens que hoje em dia são comumente abordadas pelos estudiosos da pedagogia do esporte.

O Ensino da Técnica e da Tática Novas Abordagens Metodológicas – Resumo:

Este estudo, de caráter bibliográfico, teve como objetivo analisar as metodologias de ensino dos esportes coletivos, caracterizando algumas novas abordagens evidenciadas pela literatura a respeito do ensino da técnica e tática.

A premissa básica é que a necessidade de contrapor à “tradição” a “inovação” requer dos profissionais um pensamento crítico e reflexivo acerca de novas abordagens no ensino dos esportes coletivos na realidade escolar. Diferentes investigações sobre a prática pedagógica de professores de Educação Física têm revelado o predomínio da abordagem tradicional no ensino dos esportes.

Em contrapartida à tendência centrada na técnica, surgiu a preocupação com o processo de ensino da tática nos esportes, no sentido de assegurar que o aluno aprenda a tomar decisões e resolver problemas que ocorrem durante o jogo. As novas tendências metodológicas preocupam-se com a articulação do ensino da técnica e tática, nomeadamente as metodologias baseadas nas estruturas funcionais, no ensino para a compreensão e no modelo desenvolvimentista.

Para que ocorra uma mudança gradual no ensino dos esportes coletivos na realidade escolar, aponta-se para iniciativas de formação continuada dos professores e análise da prática pedagógica implementada nas disciplinas esportivas da formação inicial.

Esse trabalho em algumas partes questiona a aplicabilidade dos métodos.

Os autores afirmam que os estudos dos métodos estão preocupados com as dimensões técnico-tática do ensino, porém os estudos se mostram controversos quanto ao método “ideal”.

Questionam a transferência do aprendizado no método tradicional e em outros métodos.

Colocando em prova a Facilidade x Qualidade, já que as duas são diferentes em alguns métodos.

Mas os autores citam diretamente o método tradicional, porque outros fatores devem ser associados ao ganho de aprendizagem, não só a evidência da técnica no método tradicional.

Bom, esse trabalho foi escrito por:
Profª Ms. Luciane Cristina Arantes da Costa
Profº Dr. Juarez Vieira do Nascimento

Foi Publicado em Revista da Educação Física/UEM – Maringá V. 15 N.2 P. 49-56, 2º Semestre, 2004.

Segue o trabalho para download COSTA; NASCIMENTO – O Ensino da Técnica e da Tática Novas Abordagens Metodológicas

Conheçam outros trabalhos e pesquisas aqui!

O Área Restritiva está no YouTube, conheça o nosso canal. Vídeos três vezes por semana.

Fique por dentro do que está acontecendo no Área em nossas redes sociais, marcamos presença no FacebookInstagram e no Twitter.

1 Comentário

  1. creio que como tudo nos mundo atual, a metodologia tem de ser aperfeiçoada diariamente, passar por inovações, pois sem sombra de duvidas, as crianças realmente começam a pratica esportiva nas escolas, e se elas tiverem aulas mais atrativas, poderíamos ter maiores atletas em potencial, mas no Brasil parece que a maior parte dos “professores” só sabe dar a bola de futebol ao aluno e falar: “joga lá”. o que você acha sobre isso Diego ?

    • Culturalmente o Brasil enfrenta dois problemas na educação física.
      1º Os profissionais que querem mudar alguma coisa e quando caem dentro de um sistema que funciona de forma arcaica, não conseguem fazer algo novo e diferente por imposição, falta de interesse e até mesmo de conhecimento dos profissionais que fazem parte do sistema. Cabendo então a esses profissionais entrarem na mesmice de forma “forçada”.

      2º A imposição da cultura mostrada pela televisão, que nem sempre e o certo (para não dizer sempre).
      A TV influência de forma negativa, pelo simples fato de rotular o Brasil como país do Futebol e só mostrar futebol, é o jogo, a coletiva de imprensa, a polêmica, as contratações, etc…
      Acredito que se as informações passadas fossem melhor aproveitadas, a inclusão de outras modalidades seriam muito mais simples, porque os alunos dessa forma vão querer simplesmente jogar o que eles veêm na TV.
      Até no próprio futebol isso é problema, porque novas abordagens metodológicas sofrem preconceito dos pais e alunos por serem diferente dos métodos tradicionais, para eles muitas vezes isso não é treinar futebol.

      Um terceiro problema menos grave do que esses mais não menos importante, são os novos professores que chegam ao mercado despreparados, porque o ensino muitas vezes tenta falar de tudo um pouco falando ao mesmo tempo de nada, olha que não tenho 1 ano de formado em educação física ainda e tenho essa critica, porque muita coisa que vejo em artigos ou na pós graduação para mim fazem muito mais sentido agora do que antes, mas lembro que foram abordadas só que não de forma tão clara.

      No fim todos os três problemas convergem no “rolar o melão” para os meninos a bola de voleibol para as meninas e o dominó, dama ou talvez o xadrez para quem não quer nenhum dos dois “esportes coletivos”

      • concordo inteiramente com as suas sábias palavras, isso deve-se muito a alienação da nossa “querida” TV aberta, talvez se a TV fechada fosse mais acessível, alguma mudança podeira ser notada, essa seria uma solução superficial, pois para realmente uma mudança completa esse sistema teria de ser quebrado. Muito Booom esse post seu ! curti mesmo !

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.