Mais uma segunda-feira, então vamos nos aprofundar mais um pouco na arte do basquetebol.

Um trabalho muito interessante onde foi estudado a especificidade dos gestos e ações técnicas do basquetebol.
Da uma olhada no resumo.

O presente estudo visa a identificação da freqüência de utilização das técnicas de basquetebol em relação às funções dos jogadores (armadores, alas e pivôs). Vídeos associados a um scout especial foram utilizados para analisar 33 jogos do Campeonato Nacional Brasileiro (9 equipes – 1996/97), da Liga Norte Americana (6 equipes -2002/03), da Liga Européia (6 equipes – 2002/03) e do Campeonato Mundial (12 equipes – 2002). O scout permitiu o acesso do número das ações específicas desempenhadas durante o jogo como: arremessos, dribles, passes, pontos, rebotes, bloqueios, bolas perdidas, bolas roubadas e posses de bola.
Para verificar as diferenças entre os jogadores e as técnicas de arremesso foi utilizado um teste de ANOVA TWO WAY. O teste de Scheffe foi utilizado para demonstrar onde as diferenças ocorreram. O nível de significância adotado foi de p<0,05. O arremesso de jump (69,7%) e bandeja (16,7%) foram as técnicas de arremesso mais utilizadas (p<0,05). O passe de peito (44,1%), por cima da cabeça (24,0%) e ombro (20,1%) foram as técnicas de passe mais utilizadas (p<0,05). Os armadores utilizam mais a técnica de drible (45,8%; p<0,05), além de perdem (22,9%) e roubarem mais a posse da bola (30,0%). Os alas arremessam mais à cesta (19,8 arremessos/jogo). Os pivôs apresentaram um maior número de rebotes (9,4 rebotes/jogo; p<0,05) e bloqueios (1,1 bloqueio/jogo; p<0,05). O diagnóstico técnico do jogo permitiu identificar quais técnicas foram mais utilizadas pelos jogadores de basquetebol profissional. Tais informações podem contribuir para a otimização do processo de treinamento
.

Minhas considerações:
O interessante da amostra é que ela é grande j á que tem 396 atletas, levando em considerção seleções e equipes da NBA, Europa e do Brasil.
Outro fato interessante é que eles balancearam o tempo das partidas de basquetebol coletadas, uma vez que os jogos da NBA tem 48 minutos os outros tem 40min.

Pode ajudar nos treinos uma vez que identifica quais jogadores fazem quais arremessos e de onde.

Traz a afirmação que eu escuto desde quando aprendi a jogar, que o passe é o gesto técnico mais utilizado.

Possível identificar quem faz o que durante uma partida, de acordo com a ação do jogo, isso pode ajudar nos treinos.

Trabalho Escrito por:
Victor Hugo Alves Okazaki,
André Luiz Félix Rodacki,
Thiago Augusto Sarraf,
Valério Henrique Dezan,
Fabio Heitor Alves Okazaki.

Publicado em: Revista brasileira de Ciência e Movimento Brasília v. 12 n. 4 p. 19-24 dezembro 2004

Segue o artigo para download OKAZAKI et al – Diagnóstico da especificidade técnica dos jogadores de basquetebol

Espero que gostem.

É isso!

Comentem e Compartilhem!
Até+

Diego Silver