De dentro para fora do Jogo, uma visão diferente de quem de alguma forma viveu O Basquete.
VOCÊ ESTÁ EM:
  De possível finalista a atrasos de salário, esse é o Vasco da Gama
De possível finalista a atrasos de salário, esse é o Vasco da Gama
David Jackson,
já pediu dispensa do Vasco da Gama.
Thiago Moreira/Vasco

Nos ultimos dias um destaque diferente para o Vasco da Gama Basquete, na verdade não tão diferente se olharmos o Vasco como instituição, dessa vez o gigante da colina ganhou as manchetes por conta dos atrasos de salário no Basquetebol.

Em Novembro de 2017, eu publiquei o texto “Um time para brigar por títulos, esse é o Vasco da Gama“, analisando o elenco do Vasco, quem esperava menos do que provável finalista do NBB?! A temporada começa e alguns tropeços e o décimo primeiro lugar da competição nacional.

Mas o que está acontecendo?! Só pode ser o técnico! Time chinelinho! Tem que se aposentar! Magic, TSC!? Estrela, prospecto, consagrado. Não estou vendo nada disso.

Essas eram as reações com os resultados no NBB, mesmo depois da conquista da Copa Avianca, torneio também organizado pela Liga Nacional de Basquete.

Eis que após a derrota para o Flamengo no ‘Clássico dos Milhões’ a bomba estourou. O Vasco da Gama deve salários e não só para o elenco dessa temporada, mas também para atletas que jogaram a temporada passada, como foi apurado pelo UOL.

Segundo o UOL esportes os atletas já solicitaram desligamento do clube, porém em reunião com a diretoria, os mesmos deram um voto de confiança e decidiram continuar e buscar reverter o quadro do Vasco do NBB. Porém na mesma matéria, foi constatado que o Vasco da Gama esperava contar com patrocínios que não vieram num valor maior que 8 milhões de reais, a equipe que tem uma folha salarial mensal de 435 mil deve salários para diversos atletas desde Novembro de 2017 e esse é um fato que já ocorreu na temporada 2016/17.

Bom, vocês entenderam o que está acontecendo?! 

Os jogadores do Vasco da Gama, aceitaram continuar jogando sem receber para que o clube tenha condições de procurar formas de pagar. O mesmo clube que deixou diversos atletas sem receber na temporada passada inteira e no final conseguiu pagar todas as suas dividas para que pudesse continuar jogando o NBB e mesmo sabendo disso tudo o clube, contratou diversos jogadores de renome para reforçar o elenco e brigar por títulos sem ter certeza de que pagaria os salários.

De possível finalista a atrasos de salário, esse é o Vasco da Gama
Guilherme Giovannoni foi presidente da Associação de Atletas Profissionais de Basquete
Thiago Moreira/Vasco

Mas não existe nada que os atletas possam fazer?! Não existe ninguém olhando os atletas?

Sim, existe a Associação de Atletas Profissionais de Basquete – AAPB, que soltou uma nota oficial via Facebook, confiram abaixo:

A AAPB esclarece que há mais de um mês acompanha a situação do time de basquete do Vasco da Gama. Fizemos contato com alguns atletas antes, inclusive, dos atrasos salariais se tornarem públicos na última semana.

A AAPB zela pelos interesses de todos os atletas profissionais de basquete, mas reitera, porém, que somente os atletas filiados na AAPB têm direito a cláusula do Nada Consta, junto à Liga Nacional dos clubes.

O Nada Consta é uma grande conquista dos atletas, essa ferramenta garante que os atletas tenham seu contrato totalmente quitado pelo clube que o contratou para que este clube possa jogar a edição seguinte de um campeonato organizado pela LNB.

A Liga Nacional de Basquete exige dos clubes a quitação dos contratos antes de aceitar a sua inscrição no NBB. Antes do início desta atual temporada, três equipes foram notificadas por faltar com esse compromisso, uma delas o próprio Vasco da Gama. A equipe fez o acerto dos debitos com os atletas associados. A equipe de Brasilia, no entanto, teve a sua inscrição negada por não honrar os contratos firmados no Nada Consta da temporada 2015/2016.

A respeito das exigências financeiras dos clubes para que possam disputar o NBB, cabe somente à Liga Nacional aceitar as garantias apresentadas pelos clubes.

A AAPB continua monitorando a situação no Vasco da Gama e de todas as equipes que desrespeitarem seus compromissos com os atletas profissionais. A AAPB parabeniza os atletas que continuam a cumprir seus compromissos com a equipe, em respeito principalmente ao torcedor. 
Estamos à disposição para intervenções necessárias junto ao clube e à Liga. Nossa expectativa é que uma solução seja apresentada pelos dirigentes nos próximos dias.

Ok! Essa é o posicionamento da AAPB que pasmem já teve o Guilherme Giovannoni como presidente, mas eles não estão errados. Eles cuidam dos atletas que são filiados e olham o clube para instruir seus associados sobre problemas como esse.

Então a Associação está cumprindo perfeitamente o seu papel.

De possível finalista a atrasos de salário, esse é o Vasco da Gama
Nezinho, é um dos jogadores que permaneceram no Vasco depois da temporada 2016/17.
Foto: João Pires/LNB

Mas e a Liga Nacional de Basquete?! Não faz nada?!

A LNB, sempre no inicio da temporada convoca uma reunião com todos os possíveis participantes da Liga. Participam as equipes que continuam a disputa do Novo Basquete Brasil, as equipes que conquistaram o direito de disputar o NBB e como já aconteceu anteriormente equipes convidadas a participarem da competição.

Nesse congresso técnico, os gestores das equipes devem comprovar que as agremiações tem condições financeiras de competir o NBB, assim como comprovar que não tem nenhum débito pendente. Para essa temporada inclusive ouve um adiamento da data final para a comprovação, em uma tentativa de algumas equipes conseguirem os patrocinadores e participarem da competição, como foi o caso do Brasília, que não conseguiu cumprir as exigências e encaminhou afastamento da competição.

Comprovadas as exigências da LNB a equipe não tem impedimento algum de participar do NBB. Dessa forma, o que acontece dentro da temporada não é culpa da Liga e sim da gestão das equipes participantes.

Então assim como a AAPB, a LNB fez cumprir o seu papel, para a temporada 2017/18 do NBB.

De possível finalista a atrasos de salário, esse é o Vasco da Gama
Lucas Mariano, foi uma das contratações para a temporada 2017/18.
Foto: Leonardo Julio/AABJ

Tudo bem, mas o que vai acontecer agora?

Os atletas decidiram continuar competindo, mas não existem informações de até quando. O Atleta David Jackson segue com o futuro incerto, ele que já encaminhou o pedido de desligamento do Vasco da Gama. O Vasco da Gama, ainda não se pronunciou oficialmente, pelo menos não até o fechamento dessa matéria o Área Restritiva, esteve acompanhando as redes sociais e o site oficial do clube.

Um fato importante parece ser o maior motivador dos atletas. A Janela de transferência do NBB se encerra no dia 19 deste mês, sendo que para poderem se transferir os atletas devem se desligar do antigo clube e ter a carta de liberação para poder se transferir para uma nova agremiação. Existe um certo medo de represálias vindas do Vasco da Gama quanto a isso.

De qualquer forma o cenário não deve mudar do que já foi exposto. Se os jogadores conseguirem um acordo amigável a tempo de se transferirem sorte deles, se não o que vai restar é ou joga até receber ou fica fora da temporada.

Para a LNB, fica ai mais um exemplo de que essa situação precisa mudar, algo parecido já aconteceu na Liga Ouro com o Santos AP e de qualquer forma isso atrapalha um pouco o empenho da Liga em fortalecer a marca e o Basquetebol Nacional, uma vez que uma das equipes de maior tradição do Basquete Brasileiro não consegue arcar com salários de atletas.

Quais podem ser as soluções da Liga?!

Bom, deixo esse espaço para vocês, depois eu voto com possíveis soluções em um cenário utópico.

SOBRE O AUTOR Diego Andrade, mais conhecido como Diego Silver. Professor de Educação Física. Pai, viciado em coisas de Nerd e é claro entusiasta do Basquetebol. Ex-Aluno do Bi-Campeão Mundial Rosa Branca, quando o mesmo era servidor do SESC Consolação. CONHECER TODO TIME
RESENHE COM A GENTE AÍ!

1 resenha

  1. Para que não tenha esse tipo de problema, primeiro o clube tem que fazer um planejamento da temporada, com possíveis patrocinadores e com o cenário sem patrocínio. E se fosse possível a LNB, deveria aprovar esse planejamento ou ao menos verificar se realmente é algo possível. Desta forma, na minha opinião, diminui-se o risco deste tipo de problema, assim não afeta o NBB (jogos, espetáculo) e principalmente, os atletas ficam resguardados, diminuindo o risco de ficarem sem receber salarios.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

 
 
VOLTAR AO TOPO
%d blogueiros gostam disto: