De dentro para fora do Jogo, uma visão diferente de quem de alguma forma viveu O Basquete.
VOCÊ ESTÁ EM:
  Datas históricas do nosso basquetebol: Junho

Amigos do Basquetebol

A memória do brasileiro é muito curta. Esquecemos rapidamente de coisas que são importantes e que servem para se preservar a história.

No esporte não é diferente. Esta falta de memória faz com que os jovens não tenham noção da importância de certos feitos ou de personagens contribuíram para o desenvolvimento esportivo do país. Nos cursos de educação física e esporte pouca importância se dá à rica história esportiva do nosso país. Pouco ou nada se fala das conquistas maravilhosas de equipes e atletas que são destaque em todo o mundo, mas que, em nosso país, não têm o devido reconhecimento. Quantos jovens já ouviram falar de Adhemar Ferreira da Silva, Maria Esther Bueno, João do Pulo, Nelson Prudêncio, Antonio Carlos Moreno, Manoel dos Santos, entre tantos nomes que nos deram grandes glórias.

E no basquete não poderia ser diferente. Somente para nos situarmos em junho (mês em que escrevo este pequeno relato) temos muito a comemorar.

Neste mês, em 1967, obtivemos a medalha de bronze no Campeonato Mundial Masculino realizado no Uruguai e o título Mundial Feminino obtido em 1994, na Austrália, a maior conquista das meninas do nosso esporte.

Em 6 de junho de1967 o Brasil era Bronze no Campeonato Mundial Masculino realizado no Uruguay. Atuaram pelo Brasil: Amaury Pasos, Sérgio Macarrão, Ubiratan, Hélio Rubens, Cesar, José Luiz Olaio, Jatyr, Menon, Sucar, Edvar, Emil Rached e Mosquito. O técnico foi Kanela.

O Brasil fez, na fase de classificação, parte do grupo C obtendo 3 vitórias: Paraguay (85-41); Polônia (83-67) e Porto Rico (92-56).

Na fase final foram 4 vitórias contra Uruguay (63-45); Polônia (90-85); Argentina (74-66) e Estados Unidos (80-71) e 2 derrotas contra a União Soviética (74-78) e Yugoslávia (84-87).

A União Soviética foi a campeã e a Yugoslávia obteve o vice-campeonato.

Datas históricas do nosso basquetebol: Junho

Em 12 de junho de 1994 nossas meninas davam um presentão de “Dia dos Namorados” ao Brasil com a conquista do título Mundial, no Campeonato realizado na Austrália após vitória sobre a China (96×87).

A equipe brasileira sob a supervisão do Prof. Waldir Pagan e tendo Miguel Ângelo da Luz (técnico), Sérgio Maroneze (assistente) e Hermes Balbino (preparador físico) contou com as seguintes atletas: Hortência, Helen, Adriana Santos, Leila, Paula, Janeth, Roseli, Simone Pontello, Ruth, Alessandra, Cyntia Tuiú e Dalila.

A campanha:

Brasil 112 x 83 Taipei; Brasil 88 x 99 Eslováquia; Brasil 87 x 77 Polônia; Brasil 111 x 91 Cuba; Brasil 90 x 97 China; Brasil 92 x 87 Espanha; Brasil 110 x 107 Estados Unidos; Brasil 96 x 84 China.

Usando as palavras do saudoso Stanislaw Ponte Preta na sua obra prima chamada “Samba do Crioulo Doido” – “E assim se conta a nossa história, que de nós a maior glória…” deixo este recado: Visitem a nossa história esportiva. Há muito o que comemorar e aprender. Nosso passado esportivo e, especificamente, no basquetebol é rico e muito contribuiu para que o país fosse reconhecido como uma das maiores potências mundiais desta modalidade esportiva.

Que as novas gerações aprendam com nosso passado e tirem dele os melhores exemplos que foram deixados por personagens que lutaram muito para elevar o nível do nosso esporte.

SOBRE O AUTOR CONHECER TODO TIME
RESENHE COM A GENTE AÍ!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

 
 
VOLTAR AO TOPO
%d blogueiros gostam disto: