Comissária da WNBA esbanja confiança em teleconferência sobre a temporada 2020

A comissária da WNBA, Cathy Engelbert apresenta confiança sobre a temporada 2020, que começa oficialmente hoje (25), na IMG Academy, em Bradenton (FL), sem a presença de público.

Segundo a comissária, até o momento, apenas duas jogadoras testaram positivo para COVID-19 e seguiram os protocolos estipulados pelo  CDC (Centers for Disease Control). Desde que as equipes chegaram ao local da bolha da WNBA, em 6 de julho, foram tomadas as devidas seguranças adequadas.

Já conhece o canal do Área Restritiva no Youtube? Clique e se inscreva!

“Fizemos uma enorme quantidade de pesquisas entendendo dados e consultando especialistas. Estou muito confiante se seguirmos os protocolos (de segurança) e seguirmos a ciência, teremos uma temporada de sucesso“, disse Engelbert, que se tornou oficialmente comissário em julho de 2019

. “Não sou supersticiosa, mas quanto mais falo sobre como as coisas estão indo, fico um pouco nervosa. Mas estou muito confiante agora.”

As atletas, comissões técnicas e funcionários da WNBA, juntamente com os árbitros, estão vivendo em vilas e quartos de hotel da IMG Academy.  Os jogos serão disputados no Feld Entertainment Center, a cerca de 20 minutos de ônibus.

Diferentemente da NBA Bubble em Orlando, não existe um disque X-9 para denunciar violações de protocolo na bolha da WNBA. Mas Cathy, garante a fiscalização e comprometimento de todos os envolvidos.

Acompanhamos todas as observações“, disse Engelbert. “Pedimos à equipe da IMG Academy, bem como às nossas equipes, que sejam muito honestos, para nos informar se estão ouvindo ou vendo algo que não está em conformidade com nossos protocolos. Assim que obtemos qualquer informação, investigamos  e tomamos as medidas apropriadas “.

Engelbert também disse que existe um protocolo para lidar com qualquer pessoa que também precise de atenção médica. “Temos nossa equipe médica, o centro de diagnóstico local”, disse Engelbert. Na verdade, existe um anexo na IMG Academy. Então, se precisarmos usar uma capacidade hospitalar, também temos um pouco disso no campus“.

Como sabemos, a WNBA reduziu sua temporada regular para 22 jogos. Oito equipes avançam para os playoffs, disputando séries de cinco jogos até outubro, quando ocorrerá as finais.

Quando você pensa em uma pandemia, as fraquezas que você teve na crise tendem a ser amplificadas“, disse Engelbert. “Mas, você também vê a crise quando está nela como uma oportunidade, para talvez consertar essas fraquezas.”

A WNBA dedica sua temporada a causas sociais e raciais. A criação da plataforma The Justice Movement debaterá ao longo da temporada os seguintes temas: LGBTQ+, direitos de voto, racismo, posse de armas, e outros assuntos socialmente considerados importantes.

A causa criou conflito com a co-proprietária do Atlanta Dream, Kelly Loeffler. Loeffler, senadora da Geórgia (EUA), que manifestou oposição ao movimento Black Lives Matter sendo adotado pela entidade. Sendo que 80% das atletas da WBNA são negras, disse que não pretende vender o Dream ou ser forçada a sair da liga. Engelbert comentou sobre: 

Como comissária, estou comprometido em garantir que esta temporada seja dedicada à plataforma das jogadoras que advoga vigorosamente pela justiça social, para garantir que o Black Lives Matter. Estamos orgulhosos de nossas jogadoras por se manifestarem sobre essas questões. Elas sempre lideraram e continuarão a fazê-lo. Não há nada político nisso. É uma declaração de seus valores“. 

De olho no futuro, Cathy disse que a temporada de aniversário de 25 anos  da WNBA, em 2021, pode incluir um festival de fãs que reunirá todas as equipes em um único local.

A programação nacional da WNBA 2020 nos EUA  é a maior da história da liga, com 24 jogos já anunciados para a ABC,ESPN, ESPN2 e 40 jogos na CBS/CBS Sports Network.

No Brasil, a transmissão ficará por conta da ESPN, detentora dos direitos de jogos da WNBA. A ESPN divulgou ontem (23), a sua grade de transmissões para a temporada 202O.

Quer saber mais sobre a WNBA? Dá uma olhada nesses textos:

Damiris Dantas, a única brasileira na WNBA

A luta da WNBA por igualdade salarial

Saudades da WNBA? Confira o calendário da fase regular

O Área Restritiva está no YouTube, conheça o nosso canal. Vídeos três vezes por semana.

Já imaginou um grupo para discutir Basquete como se estivesse em um bar? Conheça o Bar do Área!

Fique por dentro do que está acontecendo no Área em nossas redes sociais; marcamos presença no FacebookInstagram e no Twitter. Ah! Também estamos no Catarse, aqui você conhece todo o projeto do Área Restritiva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.