Uma breve analise do engajamento social da internet, e como isso pode interferir na carreira de um atleta como Alex Caruso.

A internet inegavelmente mudou a forma como os fãs interagem com seus esportes e atletas favoritos. Por meio das redes sociais, postagens com apelo humorístico ganharam força e trouxeram uma abordagem nova na exposição das figuras esportivas. O basquete, assim como a NBA, não foge disso e atualmente Alex Caruso é a maior representação do jogador carismático reconhecido pelos seus memes, mas até que ponto isso é benéfico para sua imagem?

Caruso, o xodó do Lakers

Com quase três temporadas na liga (todas elas no Los Angeles Lakers), Caruso primeiramente chamou atenção pela sua aparência física: não muito alto, corpo levemente franzino e uma calvície precoce, o jovem recebeu instantaneamente o “efeito Scalabrine” – famoso role player que teve sua imagem cultuada pela internet – e não faltaram memes e piadas com seu nome e imagem.

No entanto, ao contrário de Brian Scalabrine, o ala-armador laker não se resume pelo carisma e estética física fora dos padrões. Alex Caruso apresenta bons números para o papel menor que cumpre no time, tendo médias gerais de 5.7 pontos, 2 rebotes e 2.1 assistências por jogo, além dos 43% de pontos convertidos, tudo isso com 17.7 minutos por jogo.

Leia mais sobre as equipes da NBA! 22 times jogam, mas a NBA tem 30. A conta não fecha!

Em seu segundo ano, com 21 minutos por partida, Caruso teve médias mais sólidas de 9.2 pontos e 3.1 assistências, contudo, seu jogo não se limita em números e box scores.

O que faz a torcida do Lakers amá-lo é a maneira como Caruso, apesar das suas limitações, se entrega em quadra. O jogador demonstra raça em praticamente todas as jogadas, tanto no ataque quanto na defesa. Mesmo com não muitos minutos, sua eficiência é visível em quadra, e tudo isso graças ao seu esforço.

Porque é bom e ruim ser visto como um meme?

Naturalmente existem pontos positivos e negativos na exposição de um atleta profissional na internet pelos seus memes. O principal ponto positivo está na relevância obtida através das postagens dos fãs.

Grande parte dos memes são demonstrações de carinho com os jogadores, algo que não é nada mal para suas imagens enquanto figuras públicas e midiáticas, especialmente após o fim da carreira, pois continuam com relevância por um período maior, vide Scalabrine.

Porém, nem tudo são flores e algumas postagens e piadas têm o intuito de diminuir ou constranger determinados jogadores, os tornando motivo de chacota. No futebol brasileiro, esse exemplo foi comprovado com o goleiro Sidão, que após falhar na derrota do Vasco para o Santos por 3 a 0, recebeu ironicamente dos fãs o prêmio de “Craque do Jogo”, em votação popular. Foi visível que o goleiro ficou completamente constrangido com a situação, e provocou muita atenção nas redes sociais, sendo a maioria contra a “saia-justa” que Sidão acabou passando ao vivo.

Outro ponto negativo está no próprio modo como o atleta passa a ser visto pelo público. Todo atleta de alto rendimento tem a ambição de ser reconhecido pelos seus êxitos enquanto desportista. Sendo assim, alguns atletas não enxergam com bons olhos serem resumidos pelo carisma, como foi o caso de outro jogador de futebol brasileiro, o atacante Marinho (atualmente do Santos).

MUITA GENTE SÓ ME CONHECE POR MEME, ENTÃO VOCÊS TEM QUE COMEÇAR A OLHAR PARA MIM TAMBÉM COMO JOGADOR DE FUTEBOL, QUE EU SOU BOM PARA C*** TAMBÉM.” – MARINHO EM ENTREVISTA APÓS GOL CONTRA BOTAFOGO, EM 2019.

Como enxergar Alex Caruso?

Acima de tudo extra-quadra, Alex Caruso também deve ser reconhecido por cumprir bem o seu papel em quadra, além de entregar aquilo que um torcedor ama ver no esporte – raça e amor por aquilo que está fazendo. Obviamente, isso não significa que os seus memes devem acabar, porém não devem resumir aquilo que o Caruso é como jogador de basquete.

Além da admiração pela figura, é preciso dar valor ao atleta. Isso não vale só para este exemplo, como também para muitos outros que desempenham seus esportes nos mais altos níveis físico, mental e competitivo.

O Área Restritiva está no YouTube, conheça o nosso canal. Vídeos três vezes por semana.

Fique por dentro do que está acontecendo no Área em nossas redes sociais; marcamos presença no FacebookInstagram e no Twitter. Ah! Também estamos no Catarse, aqui você conhece todo o projeto do Área Restritiva.