Campeonato Paulista – Palmeiras x Internacional [Sub-15]

Fala, pessoal!

Fui em um jogo bastante interessante nesse final de semana: Palmeiras recebeu o Internacional de Regatas de Santos, pelo campeonato paulista sub-15 metropolitano.

O Palmeiras vem liderando a chave B com 5 vitórias e apenas uma derrota enquanto o Internacional ocupa a 5ª colocação, com aproveitamento de 50% (3-3). Apesar da diferença de posições, o jogo é bastante atraente pela quantidade de talentos na partida. Pelos visitantes, destacam-se o ala Kilian (16 PPJ), que esteve na convocação inicial da seleção brasileira Sub-14 de 2017, e Lucas Ornelas (16,67 PPJ). Veja a matéria realizada pelo Tribuna Esporte em 2017, falando sobre os preparativos do time para Copa Brasil Sub-14:

https://globoplay.globo.com/v/6210465/

E pelos donos da casa, 8 jogadores estão entre os 65 cestinhas do campeonato, o que demonstra terem recursos ofensivos dos mais diversos, além de uma armação que será destacada mais adiante. Os pontuadores são:

  • Matheus Leoni -16,4 PPJ
  • João Pedro – 8,8 PPJ
  • João Victor – 8,2 PPJ
  • Raul Risso – 8 PPJ
  • Pedro Azevedo – 8 PPJ
  • Lucas Amorim – 6,8 PPJ
  • Joshua Maxwell – 7 PPJ
  • Gustavo Guedes – 5,6 PPJ

 

Diante desse cenário, perguntei para Kilian quem são os jogadores que preocupam a defesa santista e como entrarão em quadra para o jogo:

Matheus Leoni, João Victor, Joshua e Lucas Amorim são os jogadores que mais estamos focados em marcar. Nós entraremos no jogo focados, vamos sem medo, defendendo até o final com vontade e atacando com inteligência. Acredito que se jogarmos assim vamos ter um belo jogo”.

Da mesma forma, falei com o armador João Victor sobre quem a defesa palmeirense deverá ter uma atenção extra e quais pontos serão essenciais para uma vitória alviverde:

Têm 2 jogadores bons, Kilian e Molina (12 PPJ). O principal vai ser a defesa porque nos últimos jogos não defendemos muito bem. Treinamos muito essa semana defesa e rebote. Espero um ótimo jogo em equipe, um apoiando o outro. E assim saíremos vitoriosos!”.

Dado o panorama da partida, vamos ao jogo!

A partida começa em um ritmo cadenciado, sem acelerar demais ou buscando contato físico. O time da casa passa bastante a bola, procurando atacar pelo perímetro após corte de seus armadores (João Victor e Pará). O Internacional mostra dificuldade em rodar com agilidade mas conseguem executar as jogadas, porém acabam se complicando mais a frente com turnovers frequentes. Rapidamente o Palmeiras abre 9×4 e os visitantes pedem tempo, com 7min54s por jogar.

Na volta, o time da baixada aplica uma boa defesa 3-2 (muito frequente no jogo) que se converte numa bola de 3 de seu armador Lucas Molina (#6), que possui um arremesso de longa distância bastante interessante.

Defesa do time de Santos

O Palmeiras marca individualmente e reage bem às tentativas de pick ‘n roll santistas, dobrando sempre no homem da bola. Nessas recuperações, João puxou diversos contra-ataques com muita intensidade e organização, encontrando muitos companheiros em situações de ponto ou permitindo que ele mesmo finalizasse as descidas.

Aproveitando o momento, a defesa dos anfitriões sobe com João Victor e Pará, o que dificulta muito a organização do ataque adversário. Na defesa, o time de Santos mantém a zona 3-2 e consegue chegar bem na defesa da zona morta e perímetro, mas falham em marcar nas regiões de 3 pontos próximos a cabeça do garrafão. Pará fez a festa ali com 3 bolas de 3 pontos – e João já havia feito uma também, somando 4 bolas de 3 dos palestrinos no quarto.

Defesa do SEP sobe

No quarto seguinte, os donos da casa aumentam muito o ritmo, impondo uma defesa mais forte – que resulta em 2 contra-ataques – e um ataque mais ágil, rodando bastante a bola até encontrar Pedro (#7) para finalizar. Tempo pedido pelo técnico Flávio, com 8min43s por jogar e placar marcando 37×20.

Início do segundo quarto

Na volta, o armador do Internacional (Molina) converte mais uma bola de 3 pontos e abre o placar para seu time. O Palmeiras passa a se atrapalhar no jogo de 5×5, o que vai deixando os visitantes mais à vontade e permitindo um jogo mais próximo da cesta.

Até esse momento, o ala/armador JP não havia entrado pelo Palmeiras, mas quando entrou, manteve o esquema ofensivo através de arremessos de fora. Com 6 minutos de jogo, JP já havia somado 8 pontos (2 bolas de 3 e viria a converter mais uma no final do quarto) e fez uma dupla de armação com Pará excelente (19 dos 27 pontos do time no 2º quarto).

Ala/armador do Internacional, Gabriel Barbosa (#14)

Do lado do santista, quem se destacou também foi o ala/armador Gabriel Barbosa (#14). Jogador muito habilidoso e com um corte interessantíssimo. Trouxe muita agilidade nas movimentações ofensivas do time e era quem melhor conseguia levar a bola das laterais para os pivôs.

Intervalo de jogo: Palmeiras 58 x 34 Internacional de Regatas de Santos

Na volta do intervalo, Gabriel se dedica a marcar Pará em box. Além de muito rápido, o camisa #14 de Santos tem uma boa disposição defensiva. Mas a defesa, como um todo, tem muita dificuldade em segurar os homens de fora.  Os armadores palmeirenses fazem 17 dos 25 pontos da equipe, através de chutes de fora, infiltrações e média distância.  Mas a defesa estava muito boa também, fechando bem as linhas de passes e pressionando o homem da bola, principalmente nas laterais. Isso fez com que o time do Internacional buscasse finalizações muito rápidas, com arremessos marcados e desequilibrados.

Defesa box em Pará

Na reta final, o jogo ficou mais solto e com muitos contra-ataques das duas equipes. Kilian, ala do Internacional, saiu como um dos cestinhas da partida devido um excelente último quarto. Fez 12 dos seus 20 pontos nos 10 minutos finais. É um ala alto, habilidoso e rápido, com boa noção espacial para finalizar suas bandejas com pouco espaço e em transição. Não conseguiu aplicar tanto desse jogo no decorrer do duelo, mas vale ficar de olho no lateral santista – não esteve na lista dos 24 da Thelma à toa.

Kilian (#15) sendo marcado por Joshua (#6)

Se o jogo do Palmeiras foi bastante focado no perímetro, no final mostraram que também podem jogar dentro, como Joshua que puxou ataque de ponta-a-ponta da quadra e JP que fez uma linda infiltração sofrendo muito contato e convertendo a cesta (deveria utilizar mais esse recurso em seu repertório);

Final de jogo: Palmeiras 104 x 60 Internacional de Regatas de Santos

Após a partida, falei com João Victor, que concluiu o seguinte:

Nós falhamos ainda um pouco na defesa, mas depois encaixamos direitinho e os pontos foram saindo fáceis.

Aliás, vale uma observação sobre o poder ofensivo do Palmeiras. Seu backcourt é extremamente forte, formado por João Victor, Pará e JP. Os três foram responsáveis por 58 dos 104 pontos da equipe (55%). Mas seu jogo interno (partindo da lateral) também merece bastante atenção, onde Joshua e Pedro somaram 27. E ainda tem Lucas Amorim e Raul para completar. É com certeza um fortíssimo candidato a título.

Dupla de armadores do Palmeiras: João Victor e Pará

Os próximos desafios das equipes serão:

28/4

11h – Mauá x Palmeiras, no G.E. “Berenice Humiko Endo” em Mauá.

11h – São José dos Campos x Internacional de Regatas de Santos, no A.E. Sao Jose – “Lineu de Moura”

É isso, pessoal. Um abraço e até a próxima!

 

Leia mais!

Deixe sua opinião

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Compartilhe!

Se inscreva!

últimas publicações