Você conhece os números aposentados do Chicago Bulls?! Vamos falar daquelas camisas imortalizadas

Uma prática incomum no Basquete Nacional, é algo recorrente nos esportes americanos. Sempre que acompanhamos uma transmissão de Basquete na TV, seja NBA ou NCAA, vamos ver alguém falando de camisas aposentadas, ou ver uns números no alto dos ginásios norte-americanos, mas o que significam aqueles números?

Todo mês o Área vai trazer um texto sobre uma franquia ou um tema abordado nas camisas imortalizadas da NBA e explicar um pouco sobre quem são os personagens ou dos porquês dessas homenagens no Basquete.

Os números aposentados do Chicago Bulls

Aposentar uma camisa é dizer que ninguém mais vai utilizar aquele número, essa é uma prática recorrente nos esportes americanos, que diferente das regras da FIBA, sempre permitiram números de 1 até 88, além do 0 e do 00. No Basquete FIBA essa mudança veio na ultima década e pode ser encontrada no livro de regras da instituição maior do nosso Basquete.

O Chicago Bulls, tem quatro números aposentados, 4, 10, 23 e 33, além de duas homenagens Phil Jackson e Jerry Krause.

#4 – Jerry Sloan

A primeira das camisas a subir para o teto do United Center, foi a camisas #4, utilizada pelo Jerry Sloan. Muitos aqui conhecem o antigo camisa 4, pelo seu trabalho como técnico do Utah Jazz e os fãs ávidos, vão lembrar da era pré-Jordan. Mas ele também vestiu a camisa do Bulls em quadra, sendo chamado inclusive de The Original Bull.

A carreira de Jerry Sloan na NBA é dividia entre jogador e técnico de Basquete, draftado pelo Washington Bullets na quarta escolha do draft de 1965, ele ficou na capital dos Estados Unidos em seu ano de Rookie, indo para o Bulls até se aposentar em 1976.

O Touro Original, foi a primeira homenagem do Chicago Bulls, apesar de ter atuado na franquia em um momento impopular do Basquete em Chicago, Sloan foi um dos responsáveis pelo primeiro título de divisão do Bulls, o único até a era Jordan, além de levar o Bulls pela primeira vez aos playoffs da NBA, isso aconteceu na temporada 1966/67.

Sloan também esteve no que foi o primeiro grande elenco do Bulls, com 5 aparições seguidas nos playoffs da NBA e duas finais de conferência, perdendo para o Milwaukee Bucks e para o Golden State Warriors, nas finais de 74 e 75 respectivamente.

The Original Bull se aposentou, devido a uma sequência de lesões em 1976, com 11 temporadas no currículo (10 delas no Bulls). 755 jogos disputados ao todo, com médias de 14,0 pontos, 7,4 rebotes, 2,5 assistências em 34,1 minutos por partida.

Como técnico ele comandou o Bulls entre 1978 e 1982, depois foi assistente técnico do Utah Jazz entre 1985-88 e técnico da franquia até 2011. Ele foi o quinto técnico da NBA a conquistar mais de 1000 vitórias e se aposentou com o recorde de 1.221 vitórias e 803 derrotas. Sloan faleceu em Maio de 2020.

Na foto, Jerry Sloan driblando a bola com a mão esquerda olhando para o lado direito por cima do ombro, ele está em partida do Chicago Bulls os anos 70. Camisas aposentadas da NBA, os números do Chicago Bulls - Área Restritiva
10 temporada em Chicago – Médias de 14, 7 pontos, 7,7 rebotes e 696 jogos; 4x All-NBA Defensive First Team; 2x NBA All-Star; Técnico do Bulls entre 1979 e 1982.
Foto: Divulgação/NBAE

#10 – Bob Love

O segundo jogador a fazer parte das camisas aposentadas do Bulls foi o ala ambidestro do Bulls, Bob Love. Ele chegou na NBA pelo Milwaukee Bucks em meio a expansão da NBA em 1968, mas foi trocado com o Bulls na mid-Season daquela temporada, o ala ficou no Bulls até o 1976, depois disso foi para o New York Knicks e o Seatle Supersonics se aposentando ainda em 1977.

A carreira de Love, tem uma conta de temporadas meio bagunçada: 10 temporadas na NBA (entre 1966-67 e 1976-77), 9 delas com o Chicago Bulls, mas entre as transferências ele acumula passagens pelo Cincinnati Royals, Milwaukee Bucks, New York Knicks e Seatle Supersonics.

Seus números nesses 10 anos são de 17,6 pontos, 5,9 rebotes e 1,4 assistências em 31,8 minutos de média por partida na carreira. Assim como Sloan, Love esteve nas campanhas vitoriosas do Bulls. A franquia chegou nas finais de conferência por dois anos consecutivos, mas diferente de Love sua carreira pós NBA foi para cargos administrativos na liga.

Hoje Love é diretor de comunicação do Chicago Bulls, o que torna o cargo ainda mais interessante é que Love sofre de um distúrbio na fala (em inglês o termo seria Stuttering, pelos sintomas seria uma Guagueira, mas não encontramos a tradução exata para o termo).

Na foto, Bob Love, em partida do Chicago Bulls arremessando uma bola com a mão direita, o jogador é ambidestro. Camisas aposentadas da NBA, os números do Chicago Bulls - Área Restritiva
9 Temporadas em Chicago – Médias 21,3 pontos, 6,8 rebotes em 592 jogos; 3x NBA All-Star.
Foto: Divulgação/NBAE

#23 – Michael Jordan

Bom, esse nome e número dispensa comentários. O número virou uma marca e o nome uma lenda. Michael Jordan é uma lenda do Chicago Bulls e do Basquete Mundial, com diversas histórias e polêmicas e muitas delas foram revistas no documentário da Netflix The Last Dance.

A lenda Michael Jordan utilizou algumas camisas no Bulls. Um fato curioso do número 23 é que Michael Jordan quando se aposentou pela primeira vez do Chicago Bulls, o #23 foi aposentado. Ao voltar da aposentadoria da NBA (Jordan), ele decide jogar com o número 45 (por outros motivos), eis que em meio a uma temporada ruim, o número 23 é retirado da aposentadoria.

As médias da carreira do Michael Jordan são de 30,1 pontos, 6,2 rebotes e 5,3 assistências em 38,3 minutos jogados em suas 15 temporadas na NBA, 13 com o Chicago Bulls e 2 com o Washington Wizards, hoje ele é dono do Charlotte Hornets.

Na foto, um close do rosto do Michael Jordan, ele está olhando para alguma coisa dentro de quadra, mas não da para identificar o que, a foto, enquadra o busto de Jordan de lado. Camisas aposentadas da NBA, os números do Chicago Bulls - Área Restritiva
13 temporadas em Chicago – Médias de 31,5 pontos, 6,3 rebotes e 5,4 assistências em 930 jogos; 5x MVP; 6x Finals MVP; 10x All-NBA First Team; 1x Defensive Player of The Year; 9x All-NBA Defensive First, Rookie of The Year; 12x NBA All-Star.
Foto: Divulgação/NBAE

Leia também! Michael Jordan: Oi! Eu sou Humano

#33 – Scottie Pippen

Outro nome que dispensa comentários e que apareceu muito nos últimos meses, Scottie Pippen foi draftado pelo Bulls e foi a dupla de Michael Jordan durante os dois Three-Peat. Assim como Jordan, Pippen é considerado um dos melhores jogadores de sua posição e figura algumas seleções da NBA.

Scottie defendeu o Chicago Bulls por 12 temporadas, jogando também pelo Portland Trail Blazers e Houston Rockets. Suas médias foram de 16,1 pontos, 6,4 rebotes e 5,2 assistências por partida, em 34,9 minutos de média por partida.

No pós-carreira de Pippen, ele foi embaixador do Bulls ente 2010 e 201e, até assumir o cargo de conselheiro da presidência, cadeira que ocupou até abril de 2020. Sua camisa foi aposentada em 2005.

Na foto, Scottie Pippen, driblando a bola com a mão direita em partida do Chicago Bulls contra o LA Lakers. Camisas aposentadas da NBA, os números do Chicago Bulls - Área Restritiva
12 temporadas em Chicago – Médias de 17,7 pontos, 6,7 rebotes e 5,3 assistências, em 856 jogos; 3x All-NBA First Team; 7x All-NBA Defensive First; 7x NBA All-Star.
Foto: Andrew D. Bernstein/NBAE via Getty Images.

As camisas sem número: Phil Jackson e Jerry Krause

Phil Jackson é um nome que dispensa comentários. Krause “ficou famoso” por conta das falas sobre ele no documentário The Last Dance.

Phil Jackson foi jogador da NBA tem dois títulos pelo New York Knicks (1970 e 1973), seis títulos com o Chicago Bulls os dois Three-Peat (1991-1993 e 1996-1998) e mais cinco títulos pelo Los Angeles Lakers (2000-2002, 2009 e 2010).

Jerry Krause é um nome que sempre será lembrado e está devidamente amarrado a história do Bulls, globalização e NBA, já que ele é o responsável por conseguir reunir aquelas peças naquele momento e ter montado um dos times mais temíveis da história da NBA.

Não só isso, Jerry Krause também é o responsável pelo Phil Jackson ter chegado na liga e por ele ter assumido o Bulls, uma das falas de Scottie Pippen ilustra muito bem a relevância de Jerry Krause “se nós éramos o melhor time e tínhamos o melhor técnico. Sem dúvidas Jerry Krause era o melhor GM”.

Phil Jackson, depois de técnico foi GM e Presidente do Knicks até 2017. Hoje ele está aposentado do Basquetebol, mas tem contato com outros jogadores e técnicos, além de assinar diversos livros. Jerry Krause seguiu no Bulls até se aposentar da gerência e voltar a atuar como scout de baseball, ele faleceu aos 77 anos em 2017.

Na foto, Jerry Krause e Phil Jackson sentados em uma arquibancada, os dois estão olhando um para o outro conversando. Camisas aposentadas da NBA, os números do Chicago Bulls - Área Restritiva
Foto: NBAE/Getty Images

Tem algum jogador desses que você acha que merece uma Biografia ou outro texto sobre a carreira? Deixem suas sugestões aqui nos comentários.

Conheça também o Bar do Área, nosso grupo no Facebook, lá a água é filtrada e nos reunimos para discutir Basquete.

Conheça os livros de Phil Jackson, já falamos sobre eles aqui:

Livro: Phil Jackson – Cestas Sagradas

Livro: Phil Jackson – Onze Anéis: A Alma do Sucesso

O Área Restritiva está no YouTube, conheça o nosso canal. Vídeos três vezes por semana.

Fique por dentro do que está acontecendo no Área em nossas redes sociais; marcamos presença no FacebookInstagram e no Twitter. Ah! Também estamos no Catarse, aqui você conhece todo o projeto do Área Restritiva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.