Breanna Stewart, a MVP das Finais da WNBA 2020

Ala pivô volta ao topo do basquete feminino com a conquista da WNBA 2020 e MVP das finais 

A ala-pivô do Seattle Storm , Breanna Stewart, acrescentou à sua estante de troféus o segundo título da WNBA e também  o segundo prêmio de MVP das Finais, a última vez que tinha realizado tal feito, foram nas finais de 2018, onde Seatle Storm saiu vitorioso no confronto contra o Whashington Mystics por 3-0 na série.

Já conhece o canal do Área Restritiva no Youtube? Clique e se inscreva

A estrela do Seattle foi a escolha nº 1 do Draft 2016, depois de ganhar quatro títulos consecutivos da NCAA com os Huskies. Ela foi nomeada a estreante do ano em sua primeira temporada na WNBA e foi campeã da liga em 2018, no terceiro ano como atleta profissional. 

Stewie é apenas uma dessas jogadoras, uma jogadora de geração que surge de vez em quando que pode enfrentar adversidades e até mesmo ficar mais forte por causa dela. Acho que foi isso que vimos com ela. Ela voltou como uma jogadora melhor em praticamente todas as categorias, em ambos os lados da bola. Um testemunho incrível de sua ética de trabalho e seu desejo de ser uma grande jogadora e uma grande companheira de equipe”, disse Gary Kloppenburg, técnico do Seattle.

Ela conseguiu 37 pontos e 15 rebotes no Jogo 1 das Finais, tornando-se a primeira jogadora com um jogo de 35 pontos e 15 rebotes nas finais, e terminou a série com uma média de 28,3 pontos e 7,3 rebotes, com 62,8% dos  arremessos de quadra, e 65% de aproveitamento na linha de três. 

+Leia também! Seattle Storm, conquista o título da WNBA 2020

No jogo do título, Stewart anotou 26 pontos e quatro rebotes para ajudar o Storm a conquistar o quarto título da franquia. Na varrida de três jogos contra o Las Vegas Aces com uma vitória por 92 a 59 na IMG Academy em Bradenton, Flórida.

A escolha da jogadora foi unânime para MVP, disse a comissária da liga, Cathy Engelbert. Apenas quatro jogadoras ganharam dois prêmios de MVP das finais: Cynthia Cooper (4), Lisa Leslie (2), Diana Taurasi (2) ) e Sylvia Fowles (2). Cooper e Leslie já são membros do Hall da Fama,

Sua brilhante temporada na bolha, marcou um retorno impressionante para a jogadora, que rompeu seu tendão de Aquiles durante um jogo do playoff da Euroliga em abril de 2019, e perdeu toda a temporada passada.   

Enquanto ninguém duvidava que suas habilidades ainda estariam lá, não estava claro que tipo de atletismo ela teria ao retornar de uma lesão, e se ela ainda poderia ser a jogadora dominante que foi nas primeiras três temporadas de sua carreira.

O jogo 3 das finais, foi seu sexto jogo consecutivo nas finais da WNBA com pelo menos 20 pontos. Essa é a mais longa sequência desse tipo na história, ultrapassando Cooper, que teve cinco jogos consecutivos pelo Houston de 1997 a 1999, e Angel McCoughtry, que teve cinco consecutivos pelo Atlanta Dream de 2010 a 2011.

O Área Restritiva está no YouTube, conheça o nosso canae se inscreva.

Já imaginou um grupo para discutir Basquete como se estivesse em um bar? Conheça o Bar do Área!

Fique por dentro do que está acontecendo no Área em nossas redes sociais; marcamos presença no FacebookInstagram e no Twitter. Ah! Também estamos no Catarse, aqui você conhece todo o projeto do Área Restritiva.

Leia mais!

Deixe sua opinião

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Compartilhe!

Se inscreva!

últimas publicações