Apesar da dificuldade em enfrentar o Bauru nas semifinais, que perdeu apenas duas partidas de 30 durante a fase classificatória, o Mogi das Cruzes/Helbor conta com sua boa campanha durante a temporada do NBB 7 para tentar passar por esse time de peso e chegar às finais da competição. De qualquer modo, a equipe de Paco García já garantiu, ao menos, o quarto lugar quando venceu o Macaé nas quartas de final e uma vaga na Sul-Americana da próxima temporada. Agora começa um sonho, que o time quer tornar realidade.

“O nosso primeiro objetivo foi alcançado. Estamos muito felizes pelo momento que estamos vivendo e por mais um ano representando a cidade entre as quatro melhores equipes do Brasil. Nós estamos no melhor momento, preparados e focados para encarar o Bauru. A equipe deles é muito forte, com jogadores de altíssimo nível, mas nós também somos. Essa série contra Macaé nos trouxe um crescimento muito grande, psicológico e emocional. E eu creio no impossível. Sabemos da força deles, mas nós temos um sonho e queremos torná-lo realidade”, afirma o armador Alexandre Pinheiro.

O técnico Paco García salienta que Franca mostrou que é possível vencer o Bauru mas, apesar disso, a equipe mogiana não pode ser comparada à francana e não se pode exigir o mesmo.

“Vamos jogar contra uma equipe que está ganhando tudo: a Liga Paulista, os Jogos Abertos, a Sul-Americana, a Liga das Américas e foi a grande equipe desta temporada do NBB. Franca abriu uma janela para vermos que eles também podem cair e nós vamos tentar fazer o melhor trabalho que pudermos. Sabemos que o jogo vai começar zero a zero e cinco contra cinco durante toda a semifinal. Mas cada time é diferente. Não é porque Franca conseguiu que nós podemos também. Somos times completamente diferentes; nossos armadores são outros, nossos alas têm outras virtudes. Mas nós fomos um time muito forte durante todo o ano e vamos lutar para buscar a vitória”.

Sem o mando de quadra e sem sua torcida, o Mogi das Cruzes/Helbor terá que mostrar seu bom desempenho mais uma vez como visitante.

“Durante a temporada o Mogi conseguiu mostrar que é muito forte até fora de casa. Claro que é muito melhor jogar em frente à nossa torcida, que é o nosso sexto jogador, mas estamos preparados para jogar lá. Vamos para Bauru e colocar nosso trabalho em quadra, onde a defesa vai ser fundamental e o trabalho ofensivo também, afinal o Bauru tem muito volume e jogadores excelentes”, explica o pivô Gerson.

Mudança

A Liga Nacional de Basquete alterou o horário do primeiro jogo do Mogi das Cruzes/Helbor contra o Bauru no Ginásio Panela de Pressão. Agora, a partida será às 19h30, ao invés de 13h. O segundo jogo lá em Bauru será na terça, dia 12, às 21h. Ambos com transmissão do canal SporTV.