O Área Restritiva vem hoje trazer mais uma biografia, mais um atleta de Basquetebol e a sua história é um pouco mais conhecida, não pelo seu desempenho dentro de quadra, mas por tudo o que ele construiu fora dela. A Biografia de hoje é do Donald Hunter, ou como gostava de ser chamado, Don Hunter.

O Estadunidense Donald Hunter nasceu na Philadelphia, em janeiro de 1960. Desde sempre se mostrou curioso e apaixonado pelo Basquetebol. Em seu blog pessoal existe um relato que já aponta essa paixão. “Don”, quando criança, até ganhar de um de seus tios a sua primeira tabela, tinha o hábito de utilizar os cestos de roupas sujas para dar os primeiros arremessos. Depois de fixada no quintal da casa do seu avô, o presente transformou aquele espaço em seu centro de treinamentos particular, recebendo o provável atleta para seus treinamentos diários.

Na foto, Don Hunter driblando a bola com uma das mãos em uma quadra em algum parque. Biografia - Quem foi Donald "Don" Hunter - Área Restritiva
Fotos: Arquivo Pessoal

Ainda em Phily, Don Hunter jogou em algumas ligas locais, como competições organizadas pela ACM, a West Oak Lane Community Basketball League e a Police Athletic League. Anos mais tarde, sua família se mudou para North Carolina conquistando o título de melhor jogador do Junior High.

Cursando artes plásticas na West Chester University, em West Chester-Pennsylvania, Don continuou sua trajetória no Basquetebol ganhando cada vez mais espaço defendendo a universidade na NCAA, porém poucas informações estão disponíveis, mas Don Hunter defendeu a WC University na temporada 1981/82, entrando em quadra em 27 oportunidades.

Da NCAA para a NBA, esse foi o caminho de Don Hunter até aqui. Recebendo o convite do Kansas City Kings, ele se profissionalizou e começou sua trajetória na maior liga profissional do mundo, defendendo o Kings por quatro temporadas e o Philadelphia 76ers, em sua ultima temporada na liga norte-americana.

Da NBA, ele pulou para uma dunk e caiu direto no Campeonato Brasileiro de Basquetebol. Sim, Don Hunter jogou no Brasil. O Norte-Americano com passagens pela NBA jogou no Brasil a convite do Nosso Clube Limeira. Ele veio para defender as cores do clube por uma temporada, depois disso ele se transferiu para o Esporte Clube Guarulhos.

Biografia - Donald "Don" Hunter
Don Hunter atuando no Brasil, jogou contra a Lenda do Basquetebol Brasileiro Oscar Schmidt.
Fotos: Arquivo Pessoal

Pode-se dizer que Don Hunter se apaixonou pelo Brasil, depois de defender o EC Guarulhos, o gringo teve passagens por diversos clubes brasileiros como o Tennis Clube e o Estella Clube de Porto Feliz, que foi onde ele deu inicio a sua carreira de técnico. Mas antes disso ele defendeu o Náutica Clube de Itanhaém e o Santo André.

Em Porto Feliz, Hunter desenvolveu projetos que tinham como objetivo manter os jogadores que foram federados, mas que estavam sem clube, em atividade, para que assim conseguissem oportunidades em equipes adultas. Por três anos, Don Hunter e o Fundação Gol de Letra atuaram juntos e prol do Basquetebol e crianças carentes. O Estadunidense foi coordenador de Basquetebol da Instituição.

Algumas das ações mais famosas do Don Hunter eram os intercâmbios esportivos e culturais. Diversas excursões aconteceram no Brasil e no exterior entre 1993 e 2006, em 13 anos Don Hunter trouxe para o Brasil clínicas da Nike Internacional, o técnico Boo Williams e o técnico André Gould. Nesse mesmo período ele foi responsável pela parceria com GM do Brasil, Esso e Mobil Oil para clínicas e Ligas de Verão em diversos locais, envolvendo não só clubes como escolas da rede publica de ensino.

Além das ações sociais, Don Hunter ainda atuava como técnico de habilidades e desenvolvia programas esportivos para instituições privadas e escolas internacionais em São Paulo, é possível encontrar na internet informações sobre o Don Hunter´s Personal Basketball Trainning System ou o Don Hunter Basketball Development Programs.

Fora das quadras ele foi diretor da ONG Montsho, uma organização sem fins lucrativos que tratava de combater crimes de racismo. Além de atuar com questões de empreendedorismo social.

Com uma ligação muito forte com o trabalho social, se sentido no dever de devolver para sociedade o que conquistou como atleta, Don Hunter encabeçou diversos projetos pelo Brasil, em parceria com a ACM e com o SESC, conseguindo notoriedade no país.

O Ápice de suas aventuras e projetos foi o Programa Estrelas do Basquete, uma ação única proveniente de uma parceria entre o SESC São Paulo, o Consulado dos Estados Unidos e a Alumni. Diversas vezes pauta do Área Restritiva, que acompanhou de perto o desenvolvimento desse projeto. Uma ação que visava através do esporte, a criação de lideres comunitários, para que dessa forma valores sociais fossem desprendidos em suas comunidades. O programa, além das aulas de Basquetebol, tinha aulas de inglês e liderança e aconteceu no SESC Consolação.

Dessa forma, Don ganhou, não prêmios de MVP ou posições de destaque nos rankings mundiais de basquete, mas sim novos companheiros para lutarem junto dele pelo esporte, pela oportunidade de fazer do basquete um agente social, melhorando as condições sociais de jovens por todo Brasil. Ele era como um Batman formando a Liga da Justiça, um Dream team.

Alguns desses companheiros de trincheira saíram dos programas já mencionados, desenvolvidos por ele, como o Estrelas do Basquete, o último citado. Jogadores como Thiago Mancini, Vinicius Lima, Miguel Barreto, Evandro Saraiva, Caique Santana, Marcos Henrique, Guilherme Pereira, Fernando Onodera e Gustavo da Cruz participaram do Don Hunter Basketball Development Programs, desenvolvendo um espaço de aperfeiçoamento e prática constante do esporte entre os anos de 2013 e 2015.

Inicialmente, os treinos ocorriam em um condomínio fechado próximo a Avenida Washington Luis. Alguns meses depois, Don conseguiu organizar os treinos na ACM, que fica ao lado da Estação Socorro da CPTM. Como em todos os projetos anteriores, o estadunidense almejava proporcionar um intercâmbio com os Estados Unidos, para que os jogadores, que tinham entre 17 e 21 anos de idade, tivessem a oportunidade de praticar o esporte em seu país de origem. Infelizmente, por falta de recursos e patrocínios, o objetivo de Don não se concretizou dessa vez.

Não sabemos se o garoto dos cestos de roupas sujas de Philadelphia um dia imaginou que realizaria o sonho de vários moleques como ele, nem se na noite em que ganhou sua primeira tabela alguma coisa mágica aconteceu, como quando Calvin Cambridge encontra aqueles tênis mágicos do MJ no filme Pequenos grandes astros. Mas Don Hunter tinha em si algo que o destacava de muitos treinadores e professores. Uma humanidade que transbordava em seu sorriso e um amor pelo basquetebol que se tornou sua missão de vida, sua causa até onde pode suportar, e que agora transita entre todos aqueles que conviveram com ele. Dia 01 de março ficará sempre marcado como o dia em que perdemos Don, o dia em que ele se tornou uma Estrela, brilhando mais que qualquer astro em todas as quadras do mundo.

Don Hunter. Do inglês: Don Caçador. Dedicou sua vida a caçar estrelas perdidas pelo mundo pra juntos formarem uma constelação. Hoje Don dorme com todas as estrelas do universo.

O basquete sentirá sua perda, Big D. Obrigado

Eu quero agradecer a todos que ajudaram a compor esse texto, em especial ao Gustavo da Cruz, que trouxe todo o tom poético da obra. Muito Obrigado!

O Área Restritiva está no YouTube, conheça o nosso canal. Vídeos três vezes por semana.

Além é claro de ficarem por dentro do que está acontecendo no Área em nossas redes sociais, marcamos presença no FacebookInstagram e no Twitter.