Cada uma das 27 federações filiadas possui sua história e contribui para o desenvolvimento do basquete nacional. Na Federação Gaúcha de Basketball, o presidente Rogério Caberlon faz um balanço do basquete do Rio Grande do Sul em 2014 e dos planos para 2015, além de explicar algumas prioridades da sua gestão, em bate-papo para o site da CBB.

Balanço da temporada 2014?
Tivemos um ano muito bom com a realização de cerca de 750 jogos, sendo 500 nos Campeonatos Estaduais e 250 no Campeonato Sul-Americano, em parceria com a Sociedade Ginástica de Novo Hamburgo. Nos Campeonatos Brasileiros de base organizados pela CBB, as quatro seleções gaúchas se classificaram entre as seis primeiras colocadas e garantiram sua permanência na 1ª Divisão em 2015.

Quais as competições que mais se destacaram em 2014?
Nas categorias de base masculina tivemos equilíbrio na parte técnica e um bom número de clubes em todas as faixas etárias. Já no Sub-14 Feminino contamos com a participação de oito clubes, um recorde dos últimos anos.

Como está sendo desenvolvido o trabalho nas categorias de base?
Depois de alguns anos sem campeonato para essa faixa etária, voltamos a ter competições de mini basquete masculino e contamos com um grande número de clubes. Isso é ótimo para o desenvolvimento do basquete gaúcho. E para surpresa tivemos também um campeonato de mini exclusivamente feminino. A Federação também incentivou os encontros de mini basquete regionais realizados pelos clubes filiados. Nos Campeonatos Brasileiros, o nosso melhor resultado foi o quarto lugar no Sub-15 Feminino. Ficamos em quinto no Sub-17 Feminino e em sexto nos Brasileiros Sub-17 e Sub-15 Masculino.

E nas competições adultas?
No Campeonato Adulto Masculino tivemos seis clubes na Copa FGB 62 anos e seis no Estadual. Foram partidas muito disputadas e com excelente presença do público. A equipe do Banrisul/Caxias do Sul foi a campeã das duas competições e disputou a Liga Ouro, que é a competição de acesso para o NBB.

Os planos para a temporada 2015?
Para 2015 pretendemos aumentar o número de filiados e com isso muito mais jogos serão realizados. Vamos também incentivar o mini basquete por meio de subsídios financeiros e uma maior divulgação da categoria. Além dos Campeonatos Estaduais, também estão nos nossos planos criar Copas de curta duração para as categorias de base, que até então eram realizadas apenas no adulto.

Discurso bem balanceado, só não gostei muito do objetivo, o objetivo é a capitação de filiados ou difundir o basquetebol?!
O aumento dos jogos e afins não deve acontecer para que seja possível aumentar esses eventos, e sim o contrário, o basquetebol vem em primeiro lugar lembrem-se disso, mas ai alguém irá falar, mas para isso precisam de dinheiro.

A capitação de recursos não deve ser direto dos clubes, mas sim de patrocinadores das competições e eventos.
Aprendam isso, o evento tem que acontecer com duas ou dez equipes, não só se tiverem dez equipes inscritas, para isso os patrocinadores diretos na competição ou evento.

Outra coisa.
Invistam em um logo e um site, mas isso é para todas as federações, é um jeito de vocês difundirem o esporte.
Hoje em dia um site atrativo é tão importante quanto um uniforme de uma equipe.

É isso!

Comentem e Compartilhem!
Até+

Diego Silver

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.