Cada uma das 27 federações filiadas possui sua história e contribui para o desenvolvimento do basquete nacional. Na Federação Paraibana de Basketball, o presidente Eduardo José Pereira Schafer faz um balanço do basquete da Paraíba em 2014 e dos planos para 2015, além de explicar algumas prioridades da sua gestão, texto retirado da série de publicações da CBB.

Balanço da temporada 2014.
Foi um ano muito positivo mesmo com algumas dificuldades e ainda aprendendo com novas experiências e desafios, pois foi o segundo ano de nossa gestão. Realizamos todos os Campeonatos Estaduais Sub-13, Sub-14, Sub-15, Sub-17, Sub-19 e Adulto Femininos e Masculinos. Tivemos a participação de alguns árbitros na LBF e LDB, além da presença de um técnico paraibano na comissão técnica da Seleção Brasileira Feminina na Copa América.

Quais as competições que mais se destacaram em 2014?
Destaco o desempenho de nossas Seleções nos Brasileiros de Base organizados pela CBB. No Sub-15 Masculino, a Paraíba foi vice-campeã da 2ª Divisão e garantiu a vaga na elite nacional. Já o Sub-17 masculino conquistou a prata na 3ª Divisão. No Sub-15 e Sub-17 Femininos por pouco não subimos para a 1ª Divisão já que ficamos em quarto lugar. Esses resultados mostram a força do nosso basquete na base graças ao trabalho sério, dedicado e de muita competência de todos os técnicos. Destaco também as finais da Copa Brasil Nordeste Adulta Masculina, em Campina Grande, quando, pela primeira vez na história do basquete estadual, tivemos jogos transmitidos pela TV aberta para toda o Estado e via internet para o mundo.

Como está sendo desenvolvido o trabalho nas categorias de base?
Esse trabalho consiste atualmente nas escolas e clubes que oferecem a prática do basquete. A Federação realiza competições nas categorias Sub-13, Sub-14 e Sub-15 e este ano vamos acrescentar os festivais de mini basquete.

E nas competições adultas?
Realizamos os Estaduais com 12 equipes, sendo nove no masculino e três no feminino. Duas equipes se destacaram pelos seus investimentos: FACISA e João Pessoa Espectros. Destaco também o Campeonato Campinense no interior do estado com a participação de seis times.

Os planos para a temporada 2015?
Teremos competições das categorias de base ao adulto de março a novembro. Vamos priorizar a base e realizar festivais de mini basquete em João Pessoa e em cidades do interior, oferecendo oportunidade de intercâmbio para garotos de até 12 anos. Este ano teremos uma novidade nas competições que é o prêmio de MVP em todos os jogos dos Estaduais. No fim do ano vamos organizar um evento com os destaques da temporada. Queremos também levar o basquete para o interior, que é muito carente de eventos. Em agosto ou setembro devemos inaugurar o ginásio que é resultado da parceria entre o Ministério do Esporte, CBB, Federação e FACISA. Ele está em construção e tem investimento de mais de R$ 2 milhões.

Muito legal, a Federação estar preocupada com a descentralização da modalidade e mais uma vez a estrutura entra em foco.
Mas o fomento da modalidade foi deixado de lado, para dar espaço aos títulos, mais uma vez, nessas esferas não podemos concluir que um trabalho foi bem sucedido pelo número de títulos, esse é o terceiro ou pelo menos o segundo passo em algum dos casos, acredito que aqui não seja, mas vamos pensar que se preocupam com isso porque é o que tem.

Também não quero dizer que não deve ser levado em consideração, mas por exemplo, se alguém chegar para as equipes ou para os técnicos e perguntar ao que ele credita o resultado, muito provavelmente ninguém vai lembrar da Federação, porque não é ela que faz o planejamento, vai para a quadra, paga o salário, treina e afins.

É isso!

Comentem e Compartilhem!
Até+

Diego Silver