A série de histórias da atletas do Ituano Basquete continua e agora o Área recebe a história de paixão pelo Basquete, a relação criada pela Lateral Luana.

Quem conheceu Luana, lateral do Ituano Basquete, na infância, poderia ter certeza que ela se tornaria atleta. Isso porque a menina passava boa parte do seu tempo no Complexo Esportivo Pedro Dell’Antonia, em Santo André – sua cidade natal -, treinando natação, ou nas quadras da escola, onde jogava handebol.

Na foto a Lateral Luana, do Ituano Basquete em uma partida da equipe, ela está utilizando o tradicional uniforme vermelho e preto. Segurando a bola de Basquete com as duas mãos ao lado do rosto, no momento do click ela está próxima a lateral da quadra, é possível ver as arquibancadas do ginásio e as placas de publicidade. Amor a primeira vista, essa é a história de Luana - Área Restritiva
Luana, a rubro-negra que se apaixonou pelo Basquete em seu primeiro treino.
Foto: Juca Ferreira

A lateral cruzou com o basquete por acaso, ao chegar mais cedo ao complexo e entrar em uma das quadras por curiosidade. “Fiquei sentada e observando o treino que já havia começado. Assisti ele completo e deu a hora de ir para o meu treino; quando levantei, o técnico me chamou, na época eu tinha uma altura boa para minha idade e então ele me fez o convite de ir brincar às terças e quintas com ele e as meninas”, conta a jogadora.

A princípio, Luana precisou lidar com a relutância da mãe, que achava que ela já praticava esportes demais, mas permitiu que ela participasse de um treino mesmo assim; foi o que bastou para despertar nela a paixão pela modalidade. A atleta decidiu deixar a natação e, aos 14 anos, se dedicar aos treinos de Valdemar nas quadras.

A decisão de, de fato, seguir carreira no basquete veio depois da primeira conquista de uma medalha em um campeonato oficial, contando com o prestígio de toda família, ainda em seu primeiro ano na modalidade. “Meus pais sempre me incentivaram em toda prática desportiva e isso sempre foi de grande motivação pra mim”, comenta Luana e acrescenta, sobre a primeira vitória: “ali, senti que era isso que queria fazer todos os dias”.

Conheça outras histórias nas biografias do Área.

A prática esportiva permitiu a ela concluir os estudos em uma escola privada, além de, futuramente, uma bolsa para a faculdade – que ainda não concluiu devido às mudanças de cidades por conta da carreira, mas que pretende retomar, pois acha “importantíssimo você se graduar em uma área que goste e se identifica”.

Aos 17 anos – apenas três depois de ter começado na modalidade -, recebeu sua primeira convocação para uma Seleção de base, se afastando de casa pela primeira vez. A despedida definitiva de Santo André veio aos 19 anos, quando foi jogar em São José dos Campos.

Nas mudanças de clubes, teve também mudanças de posição. Começou atuando como pivô, antes de ir para a lateral, e conta que jogou também como armadora. Hoje, no Galo, atua como lateral, mas afirma não ver problema caso precise atuar em outras posições. É no posto atual que executa os fundamentos que considera suas especialidades: os jumps e os arremessos de 3 pontos.

Quanto aos sonhos dentro do basquete, Luana comenta que defender seu país sempre foi sua “maior vontade”. Apesar de ainda não ter sido convocada para a Seleção Adulta – o que ainda sonha -, a atleta representou o Brasil em outra Seleção: a militar.

A rubro-negra se tornou atleta da Força Aérea Brasileira em maio de 2018. Com a equipe, participou de um Training Camp na Argentina, no ano passado, e do 7º Jogos Mundiais Militares, realizado na China, também em 2019, no qual conquistou a medalha de prata.

Entre os momentos mais especiais da carreira, destaca um vivido no exterior: “especiais tem vários, na verdade todos são, porque dia-a-dia, tudo que fazemos, marca nossa carreira, mas um dos mais especiais foi quando fui jogar a Universíade na Rússia; foi um momento único e mágico para mim, pois estava passando por algo bem pessoal dentro da carreira e ser convocada para esse campeonato, ficar entre as 12 [atletas que o disputaram], viajar e participar dele foi maravilhoso, pude ter contato com pessoas que hoje são essenciais na minha vida profissional e pessoal”, comenta Luana.

O Ituano Basquete tem o apoio da Prefeitura Municipal e é patrocinado pela CIS, Grupo Maggi, Cobrecom, EPPO, Alvorada Supermercados, Nutriplus Alimentação, Controle Contábil e Apollo Sporthouse.

O Área Restritiva está no YouTube, conheça o nosso canal. Vídeos três vezes por semana.

Fiquem por dentro do que está acontecendo no Área em nossas redes sociais, marcamos presença no FacebookInstagram e no Twitter.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.