Fica em Casa, cuide de sua família, o Coronavírus não é brincadeira, o COVID-19 mata.

Se você estão lendo esse texto agora, existe a grande chance de vocês estarem na casa de vocês com a sua família, diferente de Karl-Anthony Towns, que perdeu a mãe em decorrência de complicações causadas pelo COVID-19.

Jacqueline Towns, faleceu aos 52 anos, mas o seu caso não se tornou publico só agora, ele se tornou público em março, quando KCT publicou em sua conta no Instagram, um vídeo falando sobre o que ele estava passando, um relato um tanto quanto emocionado do jogador do Minnesota Timberwolves.


Ficou claro no video e você não precisa falar inglês para entender, que foi algo difícil de falar, além da mensagem Fique em casa.

“NÓS PODEMOS DERROTAR ISSO, MAS ISSO É ALGO SÉRIO E PRECISAMOS TOMAR TODAS AS PRECAUÇÕES

Compartilhando a minha história na esperança de que todos fiquem em casa! Nós precisamos de mais equipamentos e nós precisamos auxiliar as equipes médicas que estão na linha de frente. Obrigado a toda a equipe médica que está ajudando a minha mãe. Vocês são todos os verdadeiros heróis! Rezando para todos nós e esses tempos difíceis”.

Esse é o texto que acompanha a publicação em que Towns fala sobre como tudo aconteceu com a sua mãe, ele cita os sintomas da mãe, como febre alta que não diminuía independente do remédio, as tosses e dificuldade de respirar.

Nenhuma combinação de medicamentos foi eficaz, até o dia em que foi recomendado que ela fosse internada, porque precisaria de ventiladores, para auxiliar a respiração de Jackie.

Quando na noite do dia 13 de abril, através do perfil no twitter do Timberwolves os fãs ficaram sabendo da morte da mãe de Towns.

 

“A família Towns está com o coração partido por conta do falecimento de Jacqueline Towns por complicações decorrentes da COVID-19.

Jackie, como era conhecida carinhosamente entre a família e amigos, estava lutando contra o vírus por mais de um mês quando sucumbiu no dia 13 de abril.

Jackie foi muitas coisas para muitas pessoas – esposa, mãe, filha, avó, irmã, tia e amiga. A matriarca da família Towns era uma fonte incrível de força. Alguém carinhosa, com muito amor, que tocava a todos que encontrava. Sua paixão era palpável e sua energia nunca será substituída.

A família Towns está extremamente agradecida pelas mensagens de amor e apoio que receberam durante esse tempo tão difícil. Eles gostariam de agradecer aos guerreiros médicos no Centro Médico Presbiteriano de Penn e o Centro Médico JFK, que lutou por Jackie todos os dias e ajudou Karl Sr (pai do jogador) a se recuperar do mesmo vírus que tirou a vida de Jackie.

A família está devastada pela sua perda tremenda e pede, respeitosamente, privacidade nesse momento de luto.”

Um adento muito importante a situação toda é que Jackie Towns, não fazia parte do grupo de risco, já que é considerado como parte do grupo de risco pessoas com mais de 60 anos.

Galera, esse é um problema sério, é grave! Fiquem em casa, quanto antes achatarmos a curva de contaminação da pandemia, mas cedo poderemos voltar a jogar Basquete, ir para eventos esportivos e tentar recuperar a normalidade do cotidiano.

Quarentena contra o Covid-19, o que fazer?

Fiquem em casa, o Área preparou uma série de dicas para vocês nessa quarentena:

Conheçam os filmes de Basquete disponíveis na Netflix

Atrações também fora de quadra, atletas da NBA se jogam no TikTok

Se tem Amazon Prime Video, tem que ter filme de Basquete

Basquetebol para maratonar? Assistam desenhos de Basquete

Podcasts de basquete para ouvir na quarentena

Pesquisando um pouco mais sobre a doença e conteúdos sobre, encontrei esse vídeo do site do Drauzio Varella, um bate-papo dele com a jornalista e criadora de conteúdo, Karol Pinheiro e o médico oncologista do Centro de Oncologia e Hematologia Einstein, dr. Óren Smaletz.

O Área Restritiva está no YouTube, conheça o nosso canal. Vídeos três vezes por semana.

Fiquem por dentro do que está acontecendo no Área em nossas redes sociais, marcamos presença no FacebookInstagram e no Twitter.